Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2014

Agenda da greve

Período 29/7 a 01/08

7h Visita à comunidade do São Raimundo e Vila Cascavel.
Concentração em frente a UEB DOM DELGADO

9h Blitz nas escolas

14h Blitz nas escolas

15h Reunião do comando de greve


4 feira (30/7)

7:30h - Grande caminhada de pais e professores da Vila Cascavel e São Raimundo.
Concentração em frente a UEB DOM DELGADO

8h - Blitz nas escolas

14h - Blitz nas escolas

5 feira ( 31/7)

ENTERRO DA ADMINISTRACÃO PÚBLICA MUNICIPAL

 Concentração as 15h na praça João Lisboa ( Prox ao teatro Arthur Azevedo)

6 Feira (01/8)

8h - Blitz nas escolas

8:30h - Plenária geral dos professores para esclarecimentos sobre a greve.

14h - Blitz nas escolas

Um passo a frente e nenhum passo atrás,a greve continua

Companheir@s professores, nossa luta entra na fase decisiva e aí se faz necessário lembrar que foi a  intransigência do prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PTC/PCdoB) que nos levou a cruzar os braços.
Vale ressaltar que  a greve que ora fazemos objetiva buscar junto ao governo a reabertura das negociações para que assim possamos fechar um acordo, garantir direitos e após o fechamento deste, retornar às escolas e retomar nossas atividades. Agora, isso só acontecerá se tivermos a consciência correta desse processo de disputa. A ilustração abaixo evidencia claramente que toda greve funciona mais ou menos como um cabo de guerra. Na esquerda, em nosso caso específico, temos os professores (trabalhadores) e do outro lado, a turma do prefeito (governo). Se do nosso lado começarmos a fraquejar e a soltar a corda para voltar a escola desmoralizados, desmotivados e o que é pior, sem a garantia dos nossos direitos, o governo facilmente vencerá essa batalha.  Nesse sentido, está explicito que o momen…

Professor, você sabia????

Essa reflexão eu dedico aos colegas professores que por desinformação ou alguma outra razão que desconheço, estão pensando em abandonar a luta.

Está explicito na resposta da prefeitura enviada à nossa categoria via ministério público dia 17/7.

1 - Reajuste salarial. Somente 3%;
2 - Progressão vertical: Não será concedida esse ano por conta da suposta dificuldade financeira da prefeitura;
3 - Pro...gressão horizontal: Não será concedida esse ano por conta da suposta dificuldade financeira da prefeitura;
4 - Titulação: Não será concedidas esse ano por conta da suposta dificuldade financeira da prefeitura;
5 - Difícil acesso: Não será concedidas esse ano por conta da suposta dificuldade financeira da prefeitura;
6 - Regularização das aposentadorias já pleiteadas: Promete fazer, mas não diz quando e nem quantos professores serão beneficiados;
7 - Concurso público; Promete fazer, mas não diz quando;
8 - Eleição direta para diretor: Ignora totalmente esse nosso pleito;
9 - Reforma das escol…

Para honrar compromissos políticos Edivaldo holanda Jr (PTC/PCdoB) pretende aprofundar a crise educacional em São Luis

Considerações do MRP:

O documento acima explicita o tamanho do descaso do governo da "MUDANÇA"para com a educação dos mais de 130 mil alunos da rede municipal de ensino, assim como todo o desrespeito que o prefeito tem para com os os profissionais do magistério.

O contorcionismo falacioso proferido neste documento pelos senhores secretário do governo objetivando justificar o injustificável é no mínimo rizível, pois eles fingem desconhecer a sistemática do financiamento da educação, principalmente no que diz respeito ao que preconiza as leis do PISO e do FUNDEB sobre a remuneração dos profissionais do magistério. Não há crise financeira nas contas do FUNDEB da prefeitura, pelo contrario as receitas desse fundo só no primeiro semestre desse ano cresceram em torno de 25%, portanto, recursos existem para garantir os direitos do professorado, o que não há é vontade política do prefeito Edivaldo Holanda Jr em valorizar os professores e reconhecer a importância do trabalho social que…

CARTA ABERTA distribuida na assembleia do dia 18/7.

CARTA ABERTA AOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE SÃO LUIS Companheir@s, mas uma vez nos reunimos em assembleia para tratar dos interesses da nossa categoria e o cenário não é muito animador, na medida em que, o prefeito Edivaldo Holanda Jr (PTC/PCdoB/PSB) continua ignorando nossos pleitos e demonstra insensibilidade diante dos graves problemas que ocorrem na maioria das nossas escolas. Dentro de poucas horas decidiremos coletivamente o que fazer diante deste contexto. Nesse sentido, entendemos ser necessário lançarmos um olhar para as ações do governo/SEMED e outro para as reações e/ou ações do sindicato. O GOVERNO Dia 22 de maio iniciamos o movimento paredista e de lá para cá o prefeito sempre nos ignorou e até então nunca se dispôs a sentar conosco para dialogar e assim buscar alternativas para solucionar os problemas da educação e garantir os direitos dos profissionais do magistério. Nas reuniões que aconteceram com os secretários do governo, o discurso deles sempre foi pau…