Pular para o conteúdo principal

SINPROESEMMA SE REUNE C/ O GOVERNO P/ DISCUTIR PROPOSTA DE NOVO ESTATUTO.



Por: SINPROESEMMA Data de Publicação: 12 de dezembro de 2008



O Sinproesemma voltou a se reunir, ontem (dia 12), com representantes do Governo do Estado para discutir aspectos da reformulação do Estatuto do Magistério Estadual. Desta vez, a Comissão Setorial discutiu a inclusão dos funcionários de escolas no Estatuto, que assim passaria a ser “Estatuto dos Profissionais da Educação”. Uma nova reunião ficou agendada para terça-feira (dia 16). Essas reuniões fazem parte do calendário de debates que o Sinproesemma estabeleceu sobre a reformulação do Estatuto do Magistério em duas frentes. Uma com a categoria, pois no início de 2007, foi constatado que o advento do Fundeb e do Piso Salarial Nacional Profissional e o reconhecimento dos funcionários de escola como educadores impõem a luta pela reformulação dessa lei específica. A Lei do Piso estabelece que até o final de 2009, todos os Estados e municípios tenham seus estatutos readequados(A lei do Piso em momento algum versa sobre estatuto, esse prazo anteriormente citado, se refere a elaboração do PCCS)A diretoria do sindicato pensa que só eles têm acesso às leis.


A outra, com o governo, a quem foi apresentado propostas elaboradas pela categoria ainda em 2007. Em contraproposta, o Governo do Estado elaborou uma versão de reformulação do Estatuto, que foi analisada e está disponível no site do Sinproesemma para críticas e sugestões. Vários problemas já foram constatados nessa versão, entre os quais a supressão de direitos, como a redução da jornada de trabalho aos 50 anos de idade e 20 de magistérios. Também foi instituída uma Comissão Setorial, com representantes do sindicato e do Estado, que tem como objetivo consolidar propostas das duas partes, na medida do possível. Ao mesmo tempo, o Sinproesemma estabeleceu um calendário de debates e seminários municipais, regionais e por escolas em São Luís. Neles, estão sendo colhidas sugestões para a formatação de uma proposta dos educadores.




REFORMULAR




O Sinproesemma, no entanto, já firmou posição de que defende a reformulação do antigo Estatuto e não a elaboração de um novo. “Já declaramos ao governo que somos contrários à revogação do atual Estatuto e que na reformulação devemos partir do que já temos assegurados em termos de direitos e benefícios”, explica o presidente do Sinproesemma, professor Odair José. Ele diz que “é preciso incorporar novos elementos” advindos, por exemplo, da Lei do Piso Salarial e que a entidade “não abrirá mão de conquistas históricas”.




O que nós professores de São Luis presenciamos, foi o Presidente e demais membros da diretoria do sindicato defenderem a proposta de novo estatuto do governo em todas as reuniões, porém, como em quase todas a base rejeitou essa imoralidade de proposta, agora eles afirmam que o sinproesemma decidiu rejeitar tal proposta.Façam-nos um favor, respeitem-nos!

Comentários

Pan y vino disse…
A diretoria do Sinproessemma é visivelmente despreparada, não consegue, por exemplo, articular uma reunião com participação maciça de professores, e utilizam os diretores desse sindicato o argumento segundo o qual um menor de professores consegue ser mais produtivo na elboração de propostas. Tradução: medo; medo de enfrentar o olhar irritado dos professores da rede pública estadual já sobejamente ludibriados por essa diretoria.
Cromwell disse…
Participei de algumas reuniões pra discutir o Estatuto e achei que são mais produtivas sim, com um número menor os professores têm oportunidade de dar opiniões e serem ouvidos. Aquelas assembléias no CEGEL eram só pra uma meia dúzia quererem aparecer e nada de debater propostas. Tá certa a Diretoria do Sindicato. O que nós queremos é um Estatuto que nos garanta direitos. Por outro lado vocês do MRP pra aparecer ficam mentindo dizendo que o Estatuto já estava na Assembléia Legislativa. Desse jeito vocês não vão a lugar algum!!

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …