Pular para o conteúdo principal

Verdades sobre nossa educação.

Ideb mostra que Nordeste é a região que mais necessita de investimento em educação
A Bahia foi o estado que apresentou a maior quantidade de municípios com notas mais baixas:
O município com pior desempenho foi Maiquinique, com Ideb de 0,69. Só perde para Ramilândia, no Paraná, cujo índice foi de 0,3. A média brasileira é de 3,8. O ranking da qualidade do ensino público do país comprova que a Região Nordeste é a que necessita de mais investimentos na área de educação. De cada dez municípios incluídos entre os que têm os piores indicadores nas primeiras séries do ensino fundamental, oito estão no Nordeste. O levantamento foi feito com base no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado pelo Ministério da Educação (MEC). Esse indicador, que varia de 0 a 10, leva em consideração o rendimento escolar e a média dos alunos no Sistema Nacional de Avaliação Básica (Saeb) e na Prova Brasil. Segundo o Ministério da Educação, para ter sistemas educacionais com qualidade equivalente à dos países desenvolvidos, o Ideb deve ser de pelo menos 6,0. Atualmente, a média brasileira é de 3,8. O governo federal fez o mapeamento dos mil municípios com pior desempenho, que deverão receber R$ 1 bilhão ainda este ano. A Bahia foi o estado que apresentou a maior quantidade de municípios com notas mais baixas: 205. O município com pior desempenho foi Maiquinique, com Ideb de 0,69. Só perde para Ramilândia, no Paraná, cujo índice foi de 0,3. Depois da Bahia, os estados com maior quantidade de munícipios com piores indicadores são Paraíba (108 municípios), Rio Grande do Norte (100) e Piauí (90). Em seguida, vêm Maranhão (82); Alagoas (74); Pernambuco (63); Sergipe (49) e Ceará (36). Dos mil municípios que devem receber verbas para melhorar a qualidade da educação, 150 estão na Região Norte. No Centro-Oeste, o número cai para 30; no Sudeste para sete; e no Sul para seis. Veja abaixo o ranking das regiões: Região Nº de municípios na lista dos mil com piores índices Município com pior Ideb Nordeste 807 Maiquinique (BA) - 0,69 Norte 150 Envira (AM) - 1,17 Centro-Oeste 30 Itaúba (MT) - 0,74 Sudeste 7 São João do Pacuí (MG) - 2,49 Sul 6 Ramilândia (PR) - 0,3 Fonte: Ranking baseado em dados do Inep/MEC Veja abaixo o rankingo dos dez municípios com pior Ideb: Município / Ideb Ramilândia (PR) 0,3 Maiquinique (BA) 0,69 Itaúba (MT) 0,74 Aquidaba (SE) 0,97 Biritinga (BA) 1,17 Envira (AM) 1,17 Nova América da Colina (PR) 1,17 Itarantim (BA) 1,36 Tonantins (AM) 1,36 Inhambupe (BA) 1,39 Ranking baseado em dados do Inep/MEC Fonte: Agência Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …