Pular para o conteúdo principal

Governo do MA aprova pacote de 362 obras para a educação

Fonte: SEDUC-MA
Data de Publicação: 9 de março de 2009

Ao participar da solenidade prestada pela secretaria de Educação (Seduc), na noite de sexta-feira, 06, a todas as funcionárias em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, o secretário Lourenço Vieira da Silva revelou que o governo do Estado encaminhou um junto ao Ministério da Educação (MEC), pacote para a realização de 362 obras no setor educacional até o final do ano. Durante o evento realizado pela Assessoria de Comunicação Social, o secretário homenageou Maria da Paz da Silva Véras, com a entrega de um kit especial, em nome de todas as servidoras da Seduc.De acordo com o secretário, o pacote de 362 obras para ser executado até o final do ano compreende a construção de 81 escolas com seis a 12 salas destinadas ao ensino básico. Cada escola terá 78 metros de largura por 141 de comprimento e serão equipadas com laboratórios para funcionar em tempo integral.Também está prevista a construção de 19 centros do educador nas unidades regionais de educação. Estes centros contarão com amplos auditórios equipados para videoconferências para formação continuada de professores.Lourenço Vieira da Silva anunciou ainda a construção de 40 escolas para a educação indígena e quilombola, bem como a edificação de 40 novas bibliotecas com um padrão arquitetônico moderno.O governo do Estado também aprovou a construção de 19 escolas de ensino médio integrado a educação profissional que irão oferecer cerca de 150 cursos nas mais diversas áreas. O pacote prevê ainda a realização de obras de reformas e ampliação de 370 escolas da rede estadual em São Luis e no interior do Estado.
O secretário destacou ainda o convênio firmado para a formação inicial e continuada de 35 mil professores até o final do ano, em parceria com as universidades. Dentro do programa estão projetas mais 17 mil para o próximo ano.“Este é um trabalho que esta equipe vitoriosa me ajudou a realizar”, salientou Lourenço Vieira da Silva, observando que 48% do funcionalismo público estadual estão lotados na Seduc e que a maioria é composta por mulheres.Ele lembrou que o Dia Internacional da Mulher é de fundamental importância para todas as servidoras da Seduc porque representa uma elevada conquista. Lembrou que antes as mulheres eram relegadas a um plano secundário, mas hoje ocupam cargos relevantes em todos os segmentos sociais.O secretário agradeceu a equipe feminina da Seduc pelos progressos registrados em todos os indicadores educacionais medidos pelo ministério da Educação, principalmente porque resultado de trabalho e dedicação. “Vocês contribuíram para que o Maranhão foi o Estado que mais cresceu acima em todos os fundamentos da educação”, pontuou.Para a secretária adjunta de Ensino da Seduc, Régina Galeno, que falou em nome de todas as servidoras, a comemoração da data para as educadoras é um dia especial, porque representa a vitória das mulheres na conquista por sua emancipação. “Somos a maioria e precisamos valorizar os serviços destas profissionais, respeitando a natureza, a consciência e a sensibilidade das mulheres”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …