Pular para o conteúdo principal

Profissionais da Educação Ratificam decisão da Assembleia do Sinproesemma e decidem paralisar atividades.


Em assembleia geral regional do Sinproesemma, no Liceu, 17/10, a base rejeitou o acordo proposto pelo governo, decidindo lutar pelo reajuste de 19,21% retroativo a janeiro, construção do PCCR antes de 31 de dezembro e demais itens da pauta de reivindicação. E deflagram GREVE da categoria.




Dia 26/10 às 16h, no CEGEL, novamente reunidos em assembleia da base do Sinproesemma, CENTENAS DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO se reuniram para avaliação do movimento paredista em São Luís, que começou com o a operação tartaruga (adesão de 76% das escolas) e dois grandes atos de protesto pelas ruas de São Luís. A assembleia também teve como objetivo definir o próximo passo do movimento paredista da categoria.


Estiveram presentes neste encontro, três advogados, com os quais a categoria pode tirar algumas dúvidas sobre a legalidade das ações tanto da categoria quanto da direção do Sinproesemma e para demais esclarecimentos jurídicos.





Ao final, a maioria absoluta, decidiu por paralisar totalmente as atividades docentes e partir para a pressão total sobre o Governo do Estado e Direção do sindicato em duas frentes: a judicial e a social, pois esta última pressiona as outras frentes de batalha (como frisou o advogado Diogo).




Deliberou-se também, pela construção de um grande ato em prol da defesa dos nossos direitos

NESTA QUARTA FEIRA
DIA 28/10
 às 8:00h
 em frente a Biblioteca Pública
 Praça Deodoro.

Comentários

Anônimo disse…
Queremos
saber
de
lado
este
sindicato
está!
Se
vão
mostrar-se
ou
não!
Anônimo disse…
Queremos
saber
de
que
lado
este
sindicato
está!
Se
vão
mostrar-se
ou
não!
Anônimo disse…
O governo está acessivel. Compare como governo anterior.
Anônimo disse…
Como São Luís pode fazer uma greve sem respeitar a decisão da maioria. Isso tá errado!
Anônimo disse…
Senhores professores. Não se faz greve sem uma unidade. Não se faz greve por questões politicas. A greve está acima dessas diferenças.Concordo com vcs em reivindicar direitos escritos na lei. Mas lembre-se sem unidade não existe força para mobilizar a categoria de vcs. sorte nessa luta
Anônimo disse…
GREVE GREVE GREVE GREVE GREVE GREVE

FORA O SINDICATO DESSA LUTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Anônimo disse…
Amigos e amigas!
O sindicato colocou em seu site que desautoriza e não se responsabiliza pelas manisfestaçoes da maioria dos educadores!
Quero saber mesmo se essa entidade vai defender a vontade da minoria então!!!???

Que merda de contradição é essa!
Alguem tá confuso nessa historia, e não sou eu!!

QUIMICA!
Anônimo disse…
A VERDADE CONSTRÓI A UNIDADE.

Todos queremos que as leis sejam cumpridas.

A lei do Piso é clara em seu art. 5: reajuste, em janeiro, no mesmo valor aluno ano.

DIREITOS NÃO SE NEGOCIAM!
Anônimo disse…
Lutamos para que nossos direitos sejam respeitados.

Queremos o que temos direito 19,21% retroativo à janeiro.
Anônimo disse…
Sindicato que se preze deve estar sempre ao lado da categoria de base. Chegou a hora de destronarmos esses traidores.
Todos juntos para essa nova missão!
Anônimo disse…
Não foi bom para todos, quando somente São Luís começou a luta contra o subsídio?

Foi melhor quando todos perceberam que lutávamos por direitos. Agora não é diferente.
e a luta começou sem direção de sindicato.

O Acordo descumpre lei, lei essa que me garante reajuste anual em janeiro.

~Temos que receber o que é direito e não o que acha que tem que pagar.

à luta companheiros.

Cintia Sousa- Estiva

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…