Pular para o conteúdo principal

A GREVE CONTINUA!

O Comando de Greve, faz uso temporário deste espaço, apenas pela facilidade do contato.

Em assembleia hoje, no CEGEL, a categoria decidiu permanecer no movimento paredista, por entender que pressões e ameaças não podem nos impedir de lutar por nossos direitos.

Foi uma decisão de muita coragem, e tomada após muitas ponderações das centenas de profissionais da educação lá presentes. Ficou decido:

- A greve continua;
-Nesta quinta, mobilização nas escolas;
- Ingresso na justiça sobre o assédio moral sofrido pelos professores nas escolas;
- Ato na sexta pela manhã, 8:00, concentração praça deodoro, desta vez a passeata passará também pelo sinproesemma.

Movimento grevista se faz nas ruas e a defesa de nossos direitos nos faz lutar, por isso, vamos às ruas, mostrar ao Governo e à direção do sindicato que nossa coragem é maior.

Ficou claro para todos na assembleia, que o oponente é forte, mas também nós. Temos tanta força que querem nos abafar de todas as formas. A greve, contudo, é construída com a força e ajuda de cada um, juntos, na escola mobilizando e nas ruas, nos atos. Esta pressão é muito importante.


Se precisarmos de visitas dos companheiros, mande um email dizendo a hora e o local.
Se pelas pressões alguns colegas resolverem voltar, devemos mostrar a importância da luta
 A pressão negativa do governo faz parte do movimento de greve;
A postura da direção do sindicato será questionada nas ruas e também na justiça;

O Comando de Greve.

Comentários

Anônimo disse…
Quanta indignação pude perceber em cada face, em cada palavra, em cada gesto manifestados a partir das pressões que sofremos durante esses dois dias pelo governo, diretores e a mídia sarneísta. Querem nos calar, amordaçar, mas nem isso conseguirão. Os professores a cada dia dão verdadeiro exemplo de coragem e determinação. Parabéns, heróis da resistência!
Eliomar - Cohab
Anônimo disse…
Caros colegas!
Prestem atenção!!

("O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) realiza dia 10 de novembro (terça-feira), das 8 horas às 18 horas, no Sands Hotel (antigo La Ravardière), São Francisco, seminário com o objetivo de discutir a reformulação do Estatuto do Magistério, que com a inclusão dos funcionários de escola passa a ser Estatuto do Educador e conterá o PCCS (Plano de Cargos, Carreira e Salários).
O seminário terá a participação de dois representantes por escola, sendo um professor e um funcionário não-docente, escolhidos em reuniões específicas. A pré-inscrição junto à secretaria de Assuntos Educacionais deverá ocorrer até o dia 6 de novembro (sexta-feira). A expectativa é que o evento reúna cerca de 300 pessoas.
Na pauta, temas relevantes como os “Novos parâmetros nacionais para os Planos de Carreiras para os trabalhadores da Educação”, a ser apresentado pelo secretário de política sindical da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, Ruy Oliveira, e a “Proposta de Reformulação do Estatuto do Educador Estadual”, elaborada pelo Sinproesemma e apresentada pelo professor Odair José, secretário de políticas educacionais.
O seminário vai aprofundar a discussão com a categoria sobre a reformulação do Estatuto do Educador, que foi apresentado pelo Sinproesemma ao governo do Estado após uma série de reuniões e seminários realizados desde o segundo semestre do ano passado.
No último dia 27 de outubro, foi aberta a discussão com o governo do Estado sobre o Estatuto do Educador e o Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) da categoria. E para hoje (dia 3 de novembro) foi programada outra reunião na qual deverão ser definidos cronograma e etapas da elaboração do projeto de lei que deverá ser votado pela Assembleia Legislativa.

PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO SOBRE O ESTATUTO PLANO DE CARREIRA

8h00 - Credenciamento
8h30 - Abertura
9h00 - Palestra: Novos parâmetros nacionais para os planos de Carreiras para os trabalhadores em Educação – Ruy Oliveira – Secretário de Política Sindical do CNTE.
12h00 - Almoço
14h00 - Palestra: Proposta de Reformulação do Estatuto do Magistério Estadual – professor Odair José.
17h00 - Encerramento")

Que tal uma manifestação do MRP nesse dia e local!!!???

Mostrar pra eles!!

Quimica-Turu!!
Anônimo disse…
Julio Guterres, em entrevista à rádio mirante, 04/11, no programa Ponto final, do roberto Fernandes, deixou bem claro que é um seminario e não tem cartáter deliberativo.

Então fica uma dúvida, as pessoas que irão participar, serão meros espectadores, e a proposta será apenas mostrata mas não questionada? Sugestões de muadança como serão acatadas. E a categoria, como dará o aval para esta pseudo-proposta?
Anônimo disse…
Suspeito que lá eles apenas farão a defesa do estatuto do educador, que já está pronto, não sabemos quem o construiu e farão de tudo para convencer os educadores de que este é o melhor para a categoria. Quem for participar, deve perguntar se eles possuem uma proposta de PCCR e peçam para que eles a apresentem.
Anônimo disse…
Valorosos colegas,estamos de parábens por demonstrar determinação e coragem para lutar apesar das pressões que são inerentes a ess situação,no entanto precisamos continuar a visita às escolas nesse momento crítico pois existe muita falta de informação, que,no meu entendimento é algo deliberado e que interessa aos "governos",na COHAB,a Escola Júlio de Mesquita voltou a funcionar.Não podemos desistir jamais do nosso objetivo que é a de uma Educação verdadeiramente de qualidade.
Continuemos a luta até a vitória
Marcos Abreu disse…
Estou com vocês, divulguei a notícia em meu blog de informática para que todos fiquem sabendo da sacanagem que o governo e o sindicato fazem.

Marcos Abreu
web-dicas-info.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …