Pular para o conteúdo principal

Sinproesemma cobra agilidade em negociação de Estatuto do Educador

Data de Publicação: 26 de dezembro de 2009



O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) distribuiu nota oficial criticando a forma como o Governo do Estado tem participado das negociações do Estatuto do Educador do Maranhão, cobrando a superação de impasses em alguns pontos do documento e dando o prazo de até 8 de fevereiro para envio do Projeto de Lei à Assembleia Legislativa.



Eis a íntegra do documento:


SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA DO MARANHÃO – SINPROESEMMA


NOTA OFICIAL


Diante da aproximação do prazo final para aprovação do Estatuto do Educador do Maranhão e considerando o atual estágio de negociação com o governo do Estado, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) vem a público:




1. Lembrar que a proposta de Estatuto do Educador, elaborada pela categoria em dois anos de debates organizados pelo SINPROESEMMA, foi entregue em agosto deste ano após esgotadas as negociações dos 16 itens reivindicados na Campanha Salarial 2009, que sofreu interrupções devido a instabilidade institucional no Poder Executivo estadual;



2. Reafirmar que, ainda que considerasse, desde o início, o Estatuto do Educador e o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração como questões centrais da Campanha Salarial deste ano, só era possível instalar a mesa de negociação sobre elas após reajuste salarial emergencial, que demandou acordo e aprovação pela categoria;


3. Esclarecer que o SINPROESEMMA, no atual processo de negociação do Estatuto do Educador, tem como premissas a inclusão dos funcionários de escolas, a redução de disparidades internas à carreira, a unificação da GAM (Gratificação por Atividade de Magistério) e o Piso Salarial Nacional Profissional como vencimento-base;




4. Informar que o Governo do Estado na comissão de elaboração do Estatuto do Educador não priorizou o segmento da educação e assumiu a feitura de todos os Planos do funcionalismo público, que não tem prazo específico para sanção;


5. Anunciar que não se esgotaram os debates em torno de todos os pontos do projeto básico de Estatuto a ser apresentado à Assembleia Legislativa, sendo que nas primeiras abordagens foram constatados vários conflitos de interesses, como a tentativa do governo em pôr fim à promoção funcional, com a restrição dos direitos dos funcionários de escola;


6. Criticar a falta de oportunização do debate direto entre SINPROESEMMA e secretários de Estado para a definição das questões essenciais do Estatuto do Educador e que são motivos de controvérsias;




7. Informar que o SINPROESEMMA, por meio do Fórum Permanente de São Luís, decidiu dar o prazo de até 8 de fevereiro para que a proposta de Estatuto do Educador esteja na Assembleia Legislativa, sem o que o sindicato mobilizará a categoria para que seja assegurado um Estatuto que promova a valorização do educador, preserve direitos e amplie benefícios;







8. Cobrar do governo do Estado intervenção, por meio dos secretários de Educação, Administração e Planejamento, nos debates ora em curso para a superação das divergências e construção de um consenso em benefício da educação pública de qualidade e de seus trabalhadores e trabalhadoras;




9. Reafirmar que o Sindicato está aberto ao diálogo em defesa dos interesses da categoria e do ensino público de qualidade.




São Luís, 22 de dezembro de 2009






Júlio Pinheiro



Presidente

Comentários

Profissionais do magistério da rede estadual, precisamos discutir os pormenores da alteração que a diretoria do sindicato em parceria com o Governo do estado pretede realizar, no que diz respeito a extinção da GAM.
Euges Lima disse…
UNIFICAÇÃO E NÃO EXTINÇÃO

Em nenhum momento a nota se refere a extinção da GAM, mas sim a UNIFICAÇÃO DA GAM, coisa completamente diferente. Atualmente, temos dois percentuais de GAM, 100% e 130%, a proposta é unificar tudo para 130%, é isso.

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…