Pular para o conteúdo principal

PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DECIDEM PELA PARALISAÇÃO DE 48H

Em assembléia geral realizada dia 10 de abril (sábado), na sede do SINDEDUCAÇÃO, os professores da rede municipal de São Luis decidiram pela paralisação de advertência de 48 horas para os dias 14 e 15 de abril. O sindicato com o apoio da categoria denuncia a morosidade da prefeitura em finalizar a negociação da pauta de reivindicação dos professores de 2009 e iniciar imediatamente a de 2010.



A reunião que aconteceu com a nova Secretária de Educação, Suely Tonial, no último dia 8 de abril, avançou em alguns pontos da pauta de 2009.A SEMED já publicou a relação das progressões vertical e horizontal para pagamento imediato. Outros pontos importantes como retificação de enquadramento dos servidores que fizeram solicitação, adicional por titulação 2009, difícil acesso 2009/2010 e retificação da jornada de trabalho de 20 para 24 horas já estão em fase de conclusão e reestruturação da CAPEM com a representatividade do sindicato. No entanto, toda a campanha salarial 2010 está ameaçada razão pela qual a categoria optou pela paralisação.



O SINDEDUCAÇÃO está divulgando a agenda de paralisação da seguinte forma: dia 14/04 a concentração será em frente da prefeitura de São Luis. Dia 15, os professores farão a manifestação em frente à Câmara Municipal. A concentração está marcada para as 8 horas. A próxima rodada de negociação com a SEMED está marcada para 19/04. “ A Diretoria do SINDEDUCAÇÃO deu todas as oportunidades para a SEMED buscar a negociação. Se a situação chegou a esse ponto deve-se exclusivamente à falta de compromisso da prefeitura com a educação pública de São Luis. Vamos paralisar agora por 48 horas, mas se as coisas continuarem como estão a tendência é a greve geral por tempo indeterminado, disse a profª Lindalva Batista, presidente do sindicato.



Fonte: SINDEDUCAÇÃO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Gov. Flávio Dino manobra para prejudicar os professores

GOVERNO DE FLÁVIO DINO APLICA MAIS UM GOLPE NOS PROFESSORES
Após descumprimento reiterado da lei do piso, com única exceção no ano de 2015; mutilação do Estatuto do Magistério (Lei 9.860/2013) de forma a provocar a curto prazo um verdadeiro achatamento salarial; utilizar-se de ardil, com apoio do Ministério Público para opor recurso sobre as execuções da Ação de Descompressão Salarial e assim não cumprir com o determinado na sentença para pagar os professores o valor relativo ao interstício de 5% não cumprido; o governo do estado mais uma vez mostra que não respeita ou prestigia a categoria e ataca as execuções sobre a incorporação e pagamento da diferença salarial de 21,7%, interpondo recurso denominado de exceção de pré-executividade nas execuções. As execuções estão sendo interpostas em razão de decisão do STF, transitada em julgado, em ação interposta pelo SINTEP/MA(Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado do Maranhão), em que o governo do estado do Maranhão deverá d…