Pular para o conteúdo principal

Protesto na Conf. nacional de Educação - CONAE

Por Najla Passos


ANDES-SN



Docentes, técnicos e estudantes da Universidade de Brasília –UnB conseguiram ocupar o palco da Conferência Nacional de Educação – CONAE, no início da noite de domingo (28/3), para protestar contra o corte de até 26,02% nos salários dos servidores da instituição e contra a política do Governo Lula para a área.


“Enquanto o Brasil gastar 36% do orçamento pagando juros da dívida pública e somente 2,8% em educação, nós podemos fazer dez conferências que não vamos resolver o problema do sucateamento da educação no país”, afirmou o representante do Comando Unificado de Greve da UnB e da Conlutas, Rodrigo Dantas.


Protesto pacífico


O protesto dos grevistas da UnB começou às 16h, no estacionamento do Estádio Mané Garrincha, de onde os manifestantes saíram em passeata até o Centro de Convenções Ulysses Guimarães, local em que a conferência está sendo realizada. Os diretores do ANDES-SN suspenderam a reunião da diretoria, realizada na sede do Sindicato, em Brasília, e se deslocaram até o local para engrossar o protesto.


Caracterizados de “lixo”, eles criticaram o descaso do governo Lula com a universidade pública, a carreira docente e a Educação em geral. “Estou vestido de lixo porque é assim que se sentem os docentes e técnicos das universidades públicas”, esclareceu o presidente do ANDES-SN, Ciro Correia que, em seguida, retornou com os demais diretores da entidade para a sede do ANDES-SN.
Ocupação


Por volta das 18h, horário marcado para a abertura da Conferência, os manifestantes decidiram entrar no auditório. “Nós estamos tentando uma audiência com o presidente Lula desde a semana passada e, como soubemos que ele estará aqui, queremos que ele nos ouça”, explicaram. O presidente Lula, entretanto, não estava no local.


Houve confronto com os seguranças e com a Polícia Militar, mas os manifestantes, em grande número, conseguiram entrar no salão principal. A apresentação de uma orquestra infantil foi interrompida e, após acordo com os organizadores, os manifestantes puderam falar. Representantes das três categorias em greve da UnB e do Comando Unificado esclareceram os motivos da manifestação e deixaram o auditório.

Mais notícias sobre a Greve na UnB: http://www.adunb.org.br/


Fonte: ANDES-SN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…