Pular para o conteúdo principal

Diretoria do SINPROESEMMA PRIORIZA SEUS INTERESSES PARTICULARES EM 2010 E SÓ AGORA, APÓS O FRACASSO ELEITORAL, VOLTA A FALAR NOS ANSEIOS DA CATEGORIA.

Após analisarmos um comunicado da diretoria do sindicato, constatamos que a diretoria do sinproesemma acaba de criar mais um factóide, para assim gerar expectativas no seio da categoria. Segundo a nota, uma comissão de diretores foi até a ASSEMBLEIA LEGISLATIVA dia 25 de novembro e em audiência, foi recebida pelo presidente Marcelo Tavares - PSB.

Durante o encontro, os diretores apresentaram a necessidade de uma emenda ao orçamento geral do estado, de modo a garantir recursos suficientes para a implantação do PCCR, já em 2011. O presidente Marcelo Tavares dissera que reunirá com a sua equipe técnica e assim, eles definirão de que forma a emenda será feita.

A nota do sindicato contabiliza ainda o apoio do deputado Rubens Pereira Jr - PCdoB.

Professores e demais profissionais da educação, vejam só:

A diretoria do sindicato foi a assembleia somente dia 25 de novembro, ou seja, faltando menos de 20 dias para o encerramento dos trabalhos na assembleia legislativa e se quer dialogaram com a maioria dos deputados;

A nota é clara, a diretoria do sindicato conta, até o momento, com o apoio de apenas dois deputados, de um universo de 42.

A proposta de Orçamento para o ano de 2011 já foi enviada ao LEGISLATIVO pelo EXECUTIVO e segundo a nota, nela não está contemplado recurso para a implantação do Plano de Cargos Carreira e Remuneração - PCCR da nossa categoria. Sendo assim, é agindo tardiamente que a diretoria do sindicato pretende reverter esse quadro adverso? A diretoria  se quer teve competência para elaborar uma proposta de emenda orçamentária, deixando esta tarefa a cargo do presidente da AL e de  sua assessoria técnica. Se não sabem fazê-la, por que não contrataram uma assessoria técnica? ( O sinproesemma arrecada milhões anualmente e esses recursos estão servido para que? Ou a quem?)

O governo reeleito ampliou suas bases, que já eram significativas dentro da AL e agora está mais forte do que nunca. Nesse sentido, dificilmente a diretoria do SINPROESEMMA conseguirá apoio em número suficiente para aprovar esta emenda. Sem isto, ficaremos como dantes, só na vontade! Aí, tudo indica, que amargaremos mais um longo ano de perdas salariais e de direitos.

Com essa manobra, a diretoria do sinproesemma objetiva verdadeiramente, somente uma coisa, demonstrar que a culpa pela não implantação do PCCR em 2011,é única e exclusiva do governo. Entretanto, isto para nós é uma meia verdade, a luta pela conquista do PCCR não foi feita e não a foi feita por quê? É o governo que determina quando um sindicato deflagra ou não uma luta? A diretoria do sinproesemma tem culpa no “cartório” sim! Estamos em estado de greve desde 2009 e o que conseguimos com isso? Neste ano a diretoria do sindicato abandonou, na capital, a categoria em greve. Se juntos (diretoria e base) tivéssemos feito a luta em 2009, teríamos enfrentado um governo fragilizado e nossas chances de êxito eram muito maiores. Agora, não temos dúvida, se desejamos mesmo conquistar o PCCR, teremos que enfrentar o governo em condições totalmente adversas.

O episódio de 2009, nos deixa uma lição: A luta dos trabalhadores pela garantia da manutenção e ampliação de direitos, frente aos ataques dos governos neoliberais, pode ser adiada, porém, mais cedo ou mais tarde, será deflagrada.

Comentários

Professores,
Estamos é perdidos com aquele corpo de diretores do sinproesemma.
TODOS os diretores daquela instituição só estão preocupados com os seus prórios interesses.
Tenho a plena certeza que ali ningeum se salva, são TODOS canalhas, mal-carater e ladrões. ali ninhgeum ta mais obre. ESTÃO todos ricos. OS DIRETORES VENDERAM A CATEGORIA PRO GOVERNO

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …