Pular para o conteúdo principal

DIA 16 DE SETEMBRO NÃO É DIA DE PARALISAÇÃO NACIONAL, SEGUNDO A CNTE.

Aulas de cidadania debaterão Piso, Carreira e 10% do PIB para a educação

No próximo dia 16 de setembro, a CNTE promoverá em parceria com seus sindicatos filiados atividade nacional para chamar a atenção da sociedade sobre os temas de maior relevância para a educação pública, na atual conjuntura.

Um dos assuntos refere-se à elaboração e à aprovação, ainda em 2011, do novo Plano Nacional de Educação (PNE), em trâmite na Câmara dos Deputados na forma do PL nº 8.035/2010. O mesmo recebeu quase 3.000 emendas, das quais aproximadamente 90% têm origem nas deliberações da 1ª Conferência Nacional de Educação (Conae), realizada em 2010, em Brasília. E a garantia de 10% do PIB (Produto Interno Bruto) para a educação pública apresenta-se como a principal reivindicação dos movimentos sociais ao projeto de PNE.

Outro tema relevante para o debate, também conexo ao PNE, diz respeito à valorização dos/as trabalhadores/as da educação básica.

Em 2008, o Congresso Nacional aprovou o Piso do Magistério e, neste ano, o Supremo Tribunal Federal julgou integralmente constitucional a Lei nº 11.738, que havia sido contestada por um grupo de governadores considerado Inimigos da Educação, Traidores da Escola Pública. O passo seguinte da luta dos/as educadores/as, portanto, consiste em garantir a aplicação imediata do Piso vinculado às carreiras de magistério, bem como lutar pela profissionalização e pela valorização dos/as demais trabalhadores/as - os/as funcionários/as da educação - que desejam ver regulamentado o piso salarial assegurado pelo art. 206, VIII da Constituição Federal (CF/1988) e as diretrizes nacionais de carreira (art. 206, V, CF/1988).

Desta vez, a nossa mobilização se concentrará no interior das escolas, nos dois últimos tempos de cada turno das aulas de sexta-feira (16), quando os professores e professoras desses horários ministrarão aulas sobre os temas propostos pela atividade (ver subsídios às aulas aqui).

Ainda durante as aulas será lançada a Mostra Nacional dos Estudantes sobre o porquê de 10% do PIB para uma educação de qualidade. O período da Mostra vai de 16 de setembro a 15 de outubro, e nela poderão ser elaborados desenhos, redações, poemas, cordéis ou outras formas de expressões culturais e literárias sobre o tema em destaque. O ganhador ou ganhadora terá a possibilidade de acompanhar, na presença de um responsável, a 5ª Marcha Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública de Qualidade, que a CNTE promoverá dia 26 de outubro, em Brasília.

Antes, porém, de serem ministradas as aulas cidadãs, todos/as os/as educadores/as (professores e funcionários administrativos) devem trocar ideias sobre esses importantes temas que regem suas vidas e que determinam a qualidade da educação. Também nas reuniões pedagógicas entre profissionais ou com a comunidade escolar, e nos encontros dos conselhos deliberativos e dos grêmios estudantis, esses assuntos devem ser pauta de debate.

A CNTE e seus sindicatos filiados desejam, a todos e todas, boa aula e ótimas discussões sobre a qualidade da educação e a valorização de seus profissionais!

http://www.cnte.org.br/index.php/comunicação/cnte-informa/414-cnte-informa-591-12-de-setembro-de-2011/8861-aulas-de-cidadania-debaterao-piso-carreira-e-10-do-pib-para-a-educacao

O MRP, DIFERENTEMENTE DO QUE ORIENTA A CNTE, REALIZARÁ UM PROTESTO EM FRENTE AO PALÁCIO DOS LEÕES, A PARTIR DAS 15H, NESSE DIA. COMPAREÇAM!

Comentários

CÔMICA, SE NÃO FOSSE TRÁGICA A POSTURA POR DEMAIS INCOERENTE DO MRP...ESPALHAR A POLÍTICA DO MEDO ENTRE A CLASSE... JÁ NÃO NÃO BASTA A POSTURA COLONIAL DO GOVERNO ESTADUAL, AINDA VEM ESSA OBSCURA E CAMBOJANA ENTIDADE, NOS MOLDE DO KMER VERMELHO ESPALHAR A CULTURA DA SUBMISSÃO?! XÔ SANTANÁS VERMELHO, XÔ!!!
SEVERINO NETTO
PARNARAMA/MA

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …