Pular para o conteúdo principal

A diretoria do SINPROESEMMA (PCdoB/PT/CTB) sujeita-se à condição de PARACHOQUE do governo ROSEANA.

Por que será que a diretoria do SINPROESEMMA usa e abusa do verbo para tentar encobrir o que nem mesmo o governo, o maior interessado faz questão de esconder? Essa total subserviência tem um preço.Não acham?


Olhem só o que afirma a diretoria, em nota publicada dia 20 de outubro no site do sindicato:

1. O governo do Estado recuou na sua iniciativa de alterar a estrutura da carreira dos professores da rede estadual e encaminhou ao Sinproesemma, nesta quinta-feira (20), as novas propostas de tabelas salariais, corrigidas de acordo com a negociação da última reunião, realizada no início desta semana, entre diretores do sindicato e gestores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).
2. As tabelas corrigidas mantêm a estrutura original da carreira dos professores, com as 25 referências funcionais, e mantém o reajuste salarial diferenciado de 38,84% a 20%, sendo este último parcelado em três vezes – 12% este mês de outubro e a diferença dividida em parcelas a serem pagas nos meses de março e setembro de 2012. O reajuste de 20% contempla os profissionais de nível superior, da terceira e quarta classes.

3. Quanto à Gratificação de Atividade de Magistério (GAM), outro ponto bastante polêmico da negociação entre governo e sindicato, o Executivo também corrigiu distorções com relação aos percentuais da gratificação, contestados exaustivamente pelo sindicato por representar perdas nos salários da categoria.

4. No conteúdo do Projeto de Lei do governo, que tramita no Legislativo, há a previsão de incorporar 20% da gratificação para todas as referências, mas os percentuais mantidos sobre os salários seriam de apenas 66,67%, para as classes 1 e 2, e de 82,54% para as classes 3 e 4.

Considerações do MRP em relação a cada item destacado acima:

1- Nesse aspecto há um recuo sim, entretanto, ele é parcial. Mantem-se as 25 referências, mais o governo não abre mão daquilo que mais lhe interessa que é a incorporação da GAM. Nesse ponto, o governo não recuou um milímetro. Vale ressaltar que a diretoria do sindicato assume publicamente que negocia sim a incorporação da GAM, nos moldes propostos pelo governo, mesmo que uma parte considerável da nossa categoria tem rejeitado essa ideia nas últimas assembleias.

2- Nesse ponto a diretoria do SINPROESEMMA não faz questão de demonstrar que não reconhece que uma parte considerável da nossa categoria REJEITOU essa proposta de reajuste parcelado. Os diretores do sindicato estão trocando o reajuste do PISO de 2012, que deve girar em torno de 20% (segundo as previsões dos técnicos da secretaria do tesouro nacional), por um mísero percentual de 8%, ainda por cima parcelado (4% em março e 4% em setembro de 2012). Só nessa manobra, teremos uma perda percentual de 20% - 8% = 12%. Com defensores como esses não precisamos de inimigos.

3- Aqui eles conseguiram se superar ao afirmarem: “Nas novas tabelas, o governo deu um passo atrás e incorporou 25% da GAM, nas classes 1 e 2, mantendo mais 75% somados aos salários. Para as referências das classes 2 e 3, o governo incorporou 20%, mantendo mais 104%. É difícil de acreditar, mas eles parecem acreditar na ignorância dos professores. Antes o governo propunha a incorporação de 20% da GAM de todas as classes, agora aumentou pra 25%.nas classes I e II. Isso é dar um passo atrás? Está explicito que usaram da velha tática de vender dificuldades pra colher facilidades. Numa matemática inaceitável e vergonhosa, diziam incorporar 20% de 100% e isso resultava numa GAM de 66%, agora, elevam esse percentual pra 75% e querem nos fazer acreditar que o governo recuou. Existe recuo aqui, porém, jamais devemos acreditar que foi do governo!

4- Se a própria diretoria afirma (1) que O PL 248/11 ainda tramita na Assembleia Legislativa; (2) divulga, ainda, amplamente em sua página oficial que a categoria ACEITOU parcialmente a proposta do governo; e (3) outra modificação pós-assembleias está sendo feita sem consultar a base: as negociações em torno de uma nova tabela sem mudanças reais não serve apenas para desviar o foco da nossa categoria, que já começava a se mobilizar contra o PL 248/11?

Diante de tudo isso, não temos como negar que nesse processo de negociação há, sim, avanço (...), mas do governo sobre os direitos da nossa categoria, em especial da GAM. Sendo assim, as dúvidas são naturais, múltiplas e justificáveis no que se refere às artimanhas e manobras dos nossos dirigentes sindicais.

Acorda categoria! Juntos somos mais, juntos somos muitos, juntos somos fortes. Acreditem!


Comentários

Emanuelle disse…
MATEMÁGICA!

O GOVERNO FEZ DESAPARECER A GAM!

ISSO É CORTE DESCARADO DA GAM!

QUEM É BURRO SUFICIENTE PARA NÃO PERCEBER?

ABRE O OLHO PROFESSOR!

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …