Pular para o conteúdo principal

Belíssima idéia! Que tal copiarmos?

Deputado diz que ato de professores é covarde


A afixação de cartazes nas escolas, citando os deputados que votaram a favor do reajuste salarial, foi criticada na tribuna

O deputado Ronaldo Martins (PRB) solicitou, ontem, durante pronunciamento na Assembleia Legislativa, que a Mesa Diretora da Casa tome uma iniciativa em relação a afixação de cartazes nas Escolas do Estado com fotos de 34 deputados "que teriam votado contra o aumento dos vencimentos dos professores".

O Cartaz traz a seguinte frase: "Deputados que votaram a favor de Cid Gomes e contra os professores". Trata-se da votação que aprovou a mensagem do Governo criando nova tabela vencimental para os profissionais de nível médio do grupo ocupacional magistério da Educação básica. A votação foi marcada por tumulto e pancadaria.

Para Ronaldo Martins, é uma atitude "covarde", pois o material não é assinado por ninguém. O parlamentar disse que teve acesso ao cartaz no endereço eletrônico do Sindicato dos professores do Estado do Ceará (Apeoc). Segundo o deputado, além dos cartazes, os próprios professores estão abordando o conteúdo desses informativos junto aos alunos.

"Eu digo sem medo de errar. Essa Casa tem sido a única fonte de mediação de muitas lutas dos servidores. É aqui que encontram apoio. É aqui que tem a sua voz garantida. É aqui que podem e devem se manifestar", defendeu.

Suspeito

Ronaldo Martins disse não conseguir compreender a lógica "irresponsável" com que vem sendo tratada a movimentação dos professores neste ano, pois culminou em agressões por excesso tanto dos professores quanto da segurança da Assembleia.

"Eu considero justa a reivindicação dos professores. Mas o que o sindicato está fazendo com o nome desta Casa é, no mínimo, suspeito", considerou.

O deputado disse que votou favorável a mensagem enviada pelo Governo por equipar ao piso nacional o salário dos profissionais da Educação de nível médio. Ronaldo Martins reconhece que ainda não é o ideal de remuneração para os professores, mas significou aumento real para um grupo do magistério, "historicamente injustiçados em seus vencimentos".
"Então, por favor, me respondam os senhores e senhoras, que votação contra os professores foi esta que está colocada no cartaz?", questionou, deixando claro que causa revolta a maneira como os deputados estão sendo abordados na rua, "por uma mentira mal contada pela Apeoc ou por quem quer que tenha feito estes cartazes".

O pronunciamento do deputado recebeu o apoio de vários colegas. Sérgio Aguiar (PSB) disse que os parlamentares que votaram a favor da matéria estão sendo julgados como se tivessem feito algo que prejudicou o professor, quando, segundo ele, os parlamentares dotaram os profissionais de nível médio de melhor salário.

Constrangimento

O deputado Fernando Hugo (PSDB) garantiu que, na Assembleia, não há nenhum deputado que vote contra servidor: "Nunca usei a massa professoral como massa política". Já Inês Arruda (PMDB) atesta que os cartazes colocam os parlamentares em situação de constrangimento. "Como se tivéssemos votado contra os servidores, o que não é verdade", alegou.

O líder do governo na Assembleia, deputado Antonio Carlos (PT), acredita que a História é que vai fazer o julgamento do processo de valorização do magistério. "Vamos aguardar. O tempo é que vai fazer justiça", ponderou.

Fonte: Diário do Nordeste (CE)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…