Pular para o conteúdo principal

Dilma e o PT são os maiores inimigos da aplicação do Piso Nacional do Magistério

Embora digam que "concordam com a Lei 11.738/2008", Dilma e o PT, na prática, são os maiores entraves para que o Piso Nacional do Magistério seja aplicado de fato em todo o país


Da Redação

A Lei do Piso Nacional do Magistério (11.738/2008) está aprovada no papel desde julho de 2008. Passou pelo crivo dos deputados, senadores, presidência da República (Lula, à época), contestação de governadores, decisão favorável do STF, enfim, toda uma maratona para que, ao final, se chegasse à conclusão óbvia de que é constitucional. Mas por que ninguém paga ou cumpre?
Dentre outras razões (citamos mais abaixo), há uma maior. É o próprio governo Federal (Lula antes e Dilma agora) quem impede ou dificulta ao máximo o cumprimento dessa Lei. Dois fatos:
1. Logo que foi aprovada, em julho de 2008, Lula criou, uma semana depois, um Projeto de Lei (nº 3.776/2008) propondo que o valor do Piso fosse corrigido pelo índice anual de inflação, algo em torno de 6%. Esta foi a primeira tentativa de golpe mortal na Lei do Piso, haja vista que o texto original previa e prevê que a referida correção anual se dê pela variação do custo/aluno, em 2012 na casa dos 22%. É por conta dessa iniciativa de Lula que a ampla maioria dos prefeitos e governadores dizem, aproveitando-se sorrateiramente da situação, que "o reajuste de 22% ainda está em debate", e que por isso "é preciso esperar o desfecho do tal Projeto de Lei proposto pelo antecessor petista de Dilma".
2. Além desse Projeto de Lei mutilador, todo ano o governo federal (Lula antes e Dilma agora) inventam um "Parecer do MEC" que rebaixa ainda mais o valor do Piso. Pelo que está aprovado no texto da Lei 11.738/2008, o valor do Piso desde janeiro de 2012 é R$ 1.937,26, inclusive com possibilidade legal de aplicação para um turno de trabalho. Dilma faz que não sabe disso e emitiu seu "Parecer", em março, rebaixando esse valor para R$ 1.450,22.
Ou seja, parte dos petistas mais graduados as ações para impedir que a Lei 11.738/2008 seja aplicada tal como foi aprovada na sua origem.
É óbvio que a desonestidade de prefeitos e governadores também é responsável pelo não cumprimento dessa Lei. Mas essa desonestidade, assim como foi estimulada por Lula antes, é hoje elevada às alturas pelas mesmas ações que a presidenta Dilma copia de seu colega de partido.
Para dificultar a aplicação real do Piso, e não menos importante, há ainda o atrelamento da CNTE e dos seus sindicatos afiliados em todo o país ao PT e ao próprio governo federal. Ao mesmo tempo em que diz que o Piso Nacional em 2012 é R$ 1.937,26, essa Confederação elogia Dilma e o ministro Mercadante por emitirem o "Parecer" que rebaixa esse valor para R$ 1.450,22. Quem entende?
Os profissionais da educação pública no Brasil precisam exigir que a CNTE e seus sindicatos rompam com o governo Dilma e organizem as lutas pelo Piso de forma consistente, dizendo a verdade para a base, doa a quem doer. Sem isso, fica quase impossível fazer com que a Lei 11.738/2008 seja cumprida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Baixaria na Assembleia de Prestação de Contas do Sinproesemma

Dia 24/06 (sábado), aconteceu no Praia Mar Hotel em São Luís a assembleia de prestação de contas do Sinproesemma.
O auditório em que aconteceu a assembleia comportava 120 assentos e cerca de 90% deles foram ocupados por educadores que estavam hospedados no hotel, pois vieram de alguns municípios localizados no continente. Poucos educadores eram da capital e isso se deu por que a diretoria do sindicato (SUB JUDICE) não divulgou a realização da assembleia nas escolas da grande ilha e nem convocou os trabalhadores nos seus  meios de comunicação.
O debate foi iniciado e ao longo dele, chamou bastante atenção o embate  entre os membros da diretoria, que se alfinetaram e também fizeram acusações graves. O presidente Raimundo Oliveira tentou cercear a fala da ex- presidente Benedita, mas foi reprovado por alguns professores.


Veja abaixo vídeos e os dois balancetes apresentados aos educadores. Neles, dentre outras coisas, chama atenção o volume de recursos que a diretoria do sindicato diz ter…