Pular para o conteúdo principal

Dilma e o PT são os maiores inimigos da aplicação do Piso Nacional do Magistério

Embora digam que "concordam com a Lei 11.738/2008", Dilma e o PT, na prática, são os maiores entraves para que o Piso Nacional do Magistério seja aplicado de fato em todo o país


Da Redação

A Lei do Piso Nacional do Magistério (11.738/2008) está aprovada no papel desde julho de 2008. Passou pelo crivo dos deputados, senadores, presidência da República (Lula, à época), contestação de governadores, decisão favorável do STF, enfim, toda uma maratona para que, ao final, se chegasse à conclusão óbvia de que é constitucional. Mas por que ninguém paga ou cumpre?
Dentre outras razões (citamos mais abaixo), há uma maior. É o próprio governo Federal (Lula antes e Dilma agora) quem impede ou dificulta ao máximo o cumprimento dessa Lei. Dois fatos:
1. Logo que foi aprovada, em julho de 2008, Lula criou, uma semana depois, um Projeto de Lei (nº 3.776/2008) propondo que o valor do Piso fosse corrigido pelo índice anual de inflação, algo em torno de 6%. Esta foi a primeira tentativa de golpe mortal na Lei do Piso, haja vista que o texto original previa e prevê que a referida correção anual se dê pela variação do custo/aluno, em 2012 na casa dos 22%. É por conta dessa iniciativa de Lula que a ampla maioria dos prefeitos e governadores dizem, aproveitando-se sorrateiramente da situação, que "o reajuste de 22% ainda está em debate", e que por isso "é preciso esperar o desfecho do tal Projeto de Lei proposto pelo antecessor petista de Dilma".
2. Além desse Projeto de Lei mutilador, todo ano o governo federal (Lula antes e Dilma agora) inventam um "Parecer do MEC" que rebaixa ainda mais o valor do Piso. Pelo que está aprovado no texto da Lei 11.738/2008, o valor do Piso desde janeiro de 2012 é R$ 1.937,26, inclusive com possibilidade legal de aplicação para um turno de trabalho. Dilma faz que não sabe disso e emitiu seu "Parecer", em março, rebaixando esse valor para R$ 1.450,22.
Ou seja, parte dos petistas mais graduados as ações para impedir que a Lei 11.738/2008 seja aplicada tal como foi aprovada na sua origem.
É óbvio que a desonestidade de prefeitos e governadores também é responsável pelo não cumprimento dessa Lei. Mas essa desonestidade, assim como foi estimulada por Lula antes, é hoje elevada às alturas pelas mesmas ações que a presidenta Dilma copia de seu colega de partido.
Para dificultar a aplicação real do Piso, e não menos importante, há ainda o atrelamento da CNTE e dos seus sindicatos afiliados em todo o país ao PT e ao próprio governo federal. Ao mesmo tempo em que diz que o Piso Nacional em 2012 é R$ 1.937,26, essa Confederação elogia Dilma e o ministro Mercadante por emitirem o "Parecer" que rebaixa esse valor para R$ 1.450,22. Quem entende?
Os profissionais da educação pública no Brasil precisam exigir que a CNTE e seus sindicatos rompam com o governo Dilma e organizem as lutas pelo Piso de forma consistente, dizendo a verdade para a base, doa a quem doer. Sem isso, fica quase impossível fazer com que a Lei 11.738/2008 seja cumprida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…