Pular para o conteúdo principal

CHAPA 1 lança carta aos professores aposentados


CARTA  AOS PROFESSORES APOSENTADOS - CHAPA 1 (UNIDADE PARA MUDAR)

Colegas,
Somos os trabalhadores de maior relevância neste país, pois a nós cabe formar todas as demais categorias. Entretanto, parece que não temos essa consciência uma vez que deixamos  nosso próprio sindicato nos afastar do seu seio. Embora ao longo da nossa história profissional sejamos acometidos por enfermidades relacionadas à docência, muitas vezes prematuramente, ainda somos muitos, porém sem participação significativa no nosso sindicato.
Acredito que somos naturalmente capacitados para construir uma categoria decente, de luta, independente e sem as amarras de prefeitos que não têm compromisso com a boa educação da nossa bela São Luís. São os mesmos que nos pagam miseráveis salários e que apostam numa educação precarizada para que se perpetuem no governo. Não obstante, parte dos que compõem o nosso sindicato não tem compromisso com a categoria e sim com os governantes, fato facilmente verificado quando se observa a inércia dos que ocupam cargos de direção sindical, onde parece que não há uma categoria sedenta por salários mais justos e melhoria na qualidade de ensino.
A fim de que sobrevivêssemos dessa profissão, a maioria de nós teve que trabalhar os três turnos: pela manhã, para que garantíssemos o pão de cada dia; à tarde para que déssemos a melhor formação para os nossos filhos; e à noite, para que assegurássemos melhor nossa representação no exercício da nossa profissão, adquirindo como roupas, revistas, livros, máquina de escrever, computador, internet e algum patrimônio.
Como se sabe, um corpo cansado pelo excesso de trabalho não pode produzir educação de qualidade. Todavia, multiplicar turnos de trabalho não configura vaidade ou ganância, mas porque o salário que nos pagam é extremamente baixo e nesse embate que muitos companheiros faleceram, pois os seus órgãos vitais não suportaram as cargas trabalhistas que lhes impuseram.
Nós mesmos somos testemunhas, basta que observemos a grande quantidade de colegas que não está mais em nosso meio. Essas pessoas eram homens e mulheres repletas de saúde, cheias de ideias, desejosas de salários justos, a fim de que produzissem educação a contento. Nós que estamos vivos, vamos lutar por um sindicato forte e independente.
É sabido que a vida hoje está prolongada, que já são mais de 23.000 brasileiros com mais de cem anos de idade. Que tal se tirarmos um pouco do nosso tempo para dedicar a nossa categoria? Isso também faz bem a nossa saúde.
Como disse o nosso conterrâneo Gonçalves Dias:

“A vida é luta renhida

Viver é lutar,

A vida é combate

Que os fracos abate

Que os bravos e os fortes

Só pode exaltar!”

 

Esperando vê-los na luta por um sindicato melhor, despeço-me cordialmente,

 José de Ribamar Alves Durans

(Professor aposentado)
 

Aposentado de luta vota CHAPA 1-  UNIDADE PARA MUDAR.

 




 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Baixaria na Assembleia de Prestação de Contas do Sinproesemma

Dia 24/06 (sábado), aconteceu no Praia Mar Hotel em São Luís a assembleia de prestação de contas do Sinproesemma.
O auditório em que aconteceu a assembleia comportava 120 assentos e cerca de 90% deles foram ocupados por educadores que estavam hospedados no hotel, pois vieram de alguns municípios localizados no continente. Poucos educadores eram da capital e isso se deu por que a diretoria do sindicato (SUB JUDICE) não divulgou a realização da assembleia nas escolas da grande ilha e nem convocou os trabalhadores nos seus  meios de comunicação.
O debate foi iniciado e ao longo dele, chamou bastante atenção o embate  entre os membros da diretoria, que se alfinetaram e também fizeram acusações graves. O presidente Raimundo Oliveira tentou cercear a fala da ex- presidente Benedita, mas foi reprovado por alguns professores.


Veja abaixo vídeos e os dois balancetes apresentados aos educadores. Neles, dentre outras coisas, chama atenção o volume de recursos que a diretoria do sindicato diz ter…