Pular para o conteúdo principal

ELEIÇÕES PARA O SINPROESEMMA – A MANOBRA DAS URNAS


A Comissão eleitoral (a verdadeira raposa cuidando do galinheiro), que cinicamente reclamou perante o MPT por este tratamento que estamos lhe dispensando, aprontou mais uma das suas (comeu mais umas galinhas).
 

Agora está mais claro ainda por que eles, perante o MPT, não aceitaram aumentar o numero de urnas em São Luis e nem aceitaram sequer transferir algumas das sessões, da sede do sindicato, para as grandes escolas, como Liceu, CINTRA etc, onde seguramente tem mais de 500 eleitores e por isto já era recomendado que em cada escola deste tamanho tivesse no mínimo duas urnas.
 

Não aceitaram nada disso por que a manobra deles é justamente para impedir o voto dos  educadores, de São Luís, onde as peças são mais conhecidas e a sua prática de traidores da classe é mais revelada.

 

O CUMULO DO ABSURDO
 

1 – Das 238 sessões eleitorais (ou urnas), em São Luís - que tem 5.400 eleitores, cerca de 20% do total de eleitores aptos – serão instaladas apenas 10 sessões, ou seja, menos de 5% do total.

 

2 – Dessas 10 (dez) sessões, 04 (Quatro) funcionarão na sede do SINPROESEMMA, o pior lugar para sediá-las, posto que é de difícil acesso, seja por engarrafamento no centro, dificuldade de estacionamento, acessibilidade do prédio, etc, etc.

 

3 – Dessas 4, a sessão de nº 3 tem uma lista de votantes de 1.726 eleitores, portanto, totalmente impraticável para eleição que se realiza em um só dia;

 

4 – Analisando as demais sessões de São Luís, percebe-se, especialmente, que a sessão que funcionará no Colégio Maria Pinho no COHATRAC conta com uma lista de votantes de 1.117 eleitores, também totalmente impraticável a coleta de todos estes votos em um único dia;

 

5 – Também ocorreram casos absurdos em algumas regionais do interior.

5-1- Por exemplo, na região de Caxias, eles puseram os associados do município de Duque Bacelar para votarem na sessão eleitoral de Caxias, distante cerca de 120 km, quando, no meio do percurso, terá uma sessão funcionando em Coelho Neto, distante somente 40 km.

 

5-2- Na região de Chapadinha, o absurdo foi cometido contra os associados dos Municípios de Água Doce, Buriti, Magalhães de Almeida e Santa Quitéria, cujos nomes foram relacionados na sessão de Chapadinha, distantes até cerca de 200 km, quando funcionarão sessões nos vizinhos municípios de São Bernardo e Anapurus ou Mata Roma.

 

5-3- Na região de Santa Inês, eles puseram os associados do município de Monção, na Urna sediada em Santa Inês, quando terá uma sessão em Igarapé do Meio, na metade da distância.

5-4- Na região de Rosário, eles puseram os associados do município de Primeira Cruz para votarem na sessão em Rosário, quando terá uma sessão em Humberto de Campos distante apenas 1/3 do percurso para chegar a Rosário. Do mesmo modo, com os eleitores de Presidente Juscelino, que foram também listados na sessão de Rosário, a cerca de 40 km, quando funcionará uma sessão em Cachoeira Grande, que fica do outro lado do Rio Munin.

 

5-5- Na região de Viana tem três dos maiores absurdos. Primeiro, puseram os associados do município de Arari para votarem em Viana, a cerca de 50 km, quando funcionará uma sessão em Vitoria do Mearim, distante apenas 10 km. Outro caso mais bárbaro é no que diz respeito aos eleitores de Bacurituba, relacionados na sessão de Viana, a cerca de 150 km, quando funcionarão duas sessões em São Bento, município vizinho, de quem Bacurituba já foi um bairro. Pior ainda é o caso dos eleitores de Peri-Mirin, também listados na urna de Viana, que fica a cerca de 200 km de distancia, quando tem várias sessões próximas àquele município, como a de São Bento, Palmeirandia e a de Bequimão.

 

5-6- Seguindo a mesma regra, assim fizeram em Balsas, onde incluíram os associados de Loreto e Sambaíba, distante cerca de 300 km, quando funcionará sessão bem próxima deles, 30 km, em São Raimundo das Mangabeiras.

 

5-7- Na região de Pinheiro, mais um absurdo, localizar na sessão de Pinheiro, os associados de Turiaçu, cuja proximidade maior é com Governador Nunes freire; Os de Porto Rico e Central, cuja maior proximidade é Cedral, onde funcionará uma sessão. O mesmo ocorrendo com os eleitores de Serrano e Apicum-Açu, que poderiam votar na sessão do Vizinho município de Bacuri ou mesmo de Cururupu, não tendo que se deslocar mais de 130 km para Pinheiro.

 

5-8- Na região de Presidente Dutra, os impedidos foram os associados de Capinzal, Gov. Archer e Se. Alexandre Costa, cujos nomes foram relacionados na sessão de Presidente Dutra, quando deveriam constar das sessões dos municípios vizinhos de Santo Antonio dos Lopes, Dom Pedro e Eugenio Barros, respectivamente, todos no meio do caminho entre estes municípios e Presidente Dutra.

 

5-9- Na região de Timon o boicote foi aos associados do município de Matões que apesar ter uma sessão funcionando no vizinho município de Parnarama, tiveram seus nomes relacionados na sessão de Timon, distante cerca de 100 km.

 

Esta é mais uma manobra grotesca que atenta contra a legitimidade deste pleito, que temos de denunciar amplamente, para a categoria conhecer, nos mínimos detalhes, quem são seus atuais representantes. Este grupelho de oportunistas - traidores da nossa classe - lançam mão destes expedientes para garantir sua permanência no controle da máquina do sindicato, com o único intuito de pôr a mesma a serviço dos seus interesses patrimoniais, bem como dos interesses eleitorais, seus e de seu partido, o PC do B, essa sigla de aluguel, cuja prática política faz revirarem-se no tumulo, os verdadeiros comunistas.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …