Pular para o conteúdo principal

MRP reúne com Secretário César Pires!

No dia 22 de setembro, uma comissão com 12 professores da rede estadual que atuam no MRP, se encontraram com o Secretário de Educação do Estado, César Pires.



Foi entregue ao secretário uma pauta de reivindicações construída em reunião do MRP (08/08 no BCA), onde consta, entre outros pontos:

- Construção do PCCR, por comissão paritária composta por Professores da base, Sinproesemma e governo;
O MRP entende que a participação de professores da base, é fundamental para que o processo seja mais justo;


- Reajuste de 19,21% retroativo a março;
O reajuste deve ser retroativo, pois o mesmo não nos foi repassado integralmente desde sua implementação.




Neste ponto, as argumentações e documentos apresentados pelo MRP deixaram o secretário sem resposta, tanto que o mesmo até tentou escapulir da reunião. Os argumentos usados pelo MRP foram: a arrecadação líquida do Estado que cresceu mais de 18%; os recursos do FUNDEB de 2007 a 2009 cresceram 118%, mas no entanto os profissionais do magistério tiveram reajustes de apenas 9%.

Também ocorreu algo inusitado, o Secretário afirma que tem 97% do orçamento da educação (FUNDEB) comprometido com a folha, pedimos as provas, mas o mesmo não apresentou. O MRP questionou o secretário mostrando que no governo anterior o comprometimento foi de apenas 68%, como pode, em apenas cinco meses, subir para 97%, sem que tenha ocorrido concurso, e sendo que não houve reajuste para os professores?

Será que o secretário acha que somos tolos ou desinformados?


- Concessão imediata das aposentadorias dos professores recém promovidos, mantendo suas vantagens.

Neste ponto o secretário disse que seguiu a orientação da justiça local, mas se negou a comentar a decisão prévia do STF que já sinalizou no sentido de que os professores promovidos não mudaram de carreira, como argumenta o governo, mas apenas progrediram dentro da mesma carreira. Por tanto, os professores têm o direito de se aposentarem imediatamente.

O secretário não foi capaz de comentar nem o argumento de que muitos desses professores deram entrada em suas promoções a mais de 10 anos.
E pasmem a toda hora o secretário lembrava que também era professor, também era da classe, mas quando indagado sobre qual lado defenderia na reunião do conselho administrativo e econômico, ele disse: “Não me complique, eu defendo o reajuste de 6,1%, tá bom”.



Foram mais de 3 horas de reunião e a impressão que ficou foi a de que o governo não pretende atender as reivindicações dos professores (o que já era de se esperar), mas a impressão que deixamos clara ao governo foi: Não aceitaremos as manobras do governo e nem do Sinproesemma, e que estamos mais que dispostos a brigar por nossos direitos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…