Pular para o conteúdo principal

Professores da Regional São Luís reafirmam, em ato público, sua rejeição à proposta do Governo.

Os professores da Regional de São Luís decidiram, na última assembleia, rejeitar a proposta do governo e deflagram greve.

No entanto, a diretoria do Sinproesemma resolveu desconhecer esse resultado e fecharam um acordo com o governo, alegando que o aval foi dado pela categoria na maioria das assembleias regionais realizadas no interior do estado.

Desde então, Governo e diretoria do Sindicato lançaram mão de uma grande campanha midiática na tentativa de ludibriar os trabalhadores e a população, com o intuito de nos fazer acreditar que tudo já está resolvido e portanto, não temos mais com o que nos preocupar.

Hoje, realizamos mais um ato de construção da greve na capital, onde centenas de professores compareceram e externaram toda a sua indignação contra essa farsa arquitetada pelo governo e a diretoria do Sinproesemma.

Vale ressaltar que os professores e demais profissionais da educação que compareceram ao ato, tiveram que vencer toda a pressão exercida pelo Governo e pelos diretores do sindicato, sendo que estes últimos agiram como verdadeiros capitães do mato ao visitarem as escolas ameaçando veementemente os trabalhadores, para que estes não participassem da atividade deliberada na última assembleia.

A concentração do ato se deu em frente a sede do Sinproesemma em seguida saímos em passeata até o Palácio do Governo. Lá após uma ampla discussão a categoria deliberou que:

1- 5ª e 6ª feira só trabalharemos 3 horários, em todos os três turno e após faremos a conscientização dos companheiros e explicaremos aos alunos a nossa real situação.

2- 6ª feira realizaremos à tarde uma grande passeata, saindo da Praça Deodoro até o Palácio dos Leões, onde mais uma vez protestaremos e reivindicaremos nossos direitos.

3- 2ª feira realizaremos uma assembleia da categoria, às 16h na quadra do CEGEL, onde faremos uma análise da conjuntura e deliberaremos as nossas próximas ações.

































Companheiros a indiferença e a neutralidade reforçarão as ações do opressor. Neste sentido vamos à luta pois só a luta garante conquistas.












Comentários

Silvia disse…
O movimento tá crescendo e isso é muito bom! É importante repassarmos aos pais e alunos os motivos das nossas lutas, mostrar as reais condições q as escolas se encontram; sem laboratórios(física, química, biologia e informatica) sem carteiras, ou seja, mostrar q as escolas só estão recebendo "maquiagem", ano após ano, se pintam os muros, as partes internas e nada mais! Vamos trazer os pais e os nossos alunos para o nosso lado, vamos fazer juntos(professores, pais e alunos) uma grande passeata e demonstrar a insatisfação geral contra esse desrespeito com a educação!
leonardo disse…
que bom nada os alunnos que são os prejudicado
Anônimo disse…
Verdade,os alunos que são prejudicados,vcs nunca vao conseguir nos levar para essa baderna que estão fazendo,vcs devem é procurar dar suas aulas,não ficar enganando nossos filhos,tratam mal nossos filhos em sala de aula.Se eles forem prejudicados com reprovações e faltas,nós iremos procurar nossos direitos e responsabilizar os responsáveis por essas irresponsabilidades,cadê os filhos de vcs??? estão numa boa não é?? estão quase de férias!! fizeram vestibular da UEMA tranquilos,estão em escolas particulares estão se preparando porque vcs não confiam em vcs e nem nos colegas de vcs professores, que não dão aula como deveriam.Prejudicando milhares de alunos e famílias, alunos desmotivados por vcs!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!deixem de blá!bla em sala de aula eles não aguentam mais tanta reclamação, eles estaõ indo para a escola para assistir aulas, A U LAS!!

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …