Pular para o conteúdo principal

EDUCADOR EM GREVE, SEM MEDO DE SER FELIZ!

Como se não bastasse o controle criminoso que o governo exerce sobre a os meios de comunicação do estado do Maranhão, agora o governo pesa também sobre a direção do nosso sindicato. Num ato de descompromisso com os anseios e necessidades da categoria o governo e a direção do SINPROESSEMA se lançam contra milhares de trabalhadores da educação na tentativa de intimidá-los a lutar para garantir seus direitos.


As tentativas de intimidação do governo e da direção do sindicato são as mesmas, "a greve é ilegal e portanto, OS PONTOS DEVEM SER CORTADOS". Felizmente a cada nota terrorista lançada pelo dueto governo/direção sindical contra a categoria só faz crescer a força do movimento. Ora, se a categoria aprovou a greve por ampla maioria em assembléia realizada pela própria direção do SINPROESEMMA no dia 17 de outubro no auditório da escola Liceu Maranhense, quem é ilegal? Você educador que é diariamente desrespeitado em seus direitos, que trabalha com salário defasado, em escolas sem as mínimas condições de funcionamento ou “os governos” que deveriam ter repassado os 19, 21 % desde janeiro e não o fizeram? Não são ilegais, os educadores que ganham as ruas para defender uma educação pública e de qualidade mas sim a governadora que insiste em não querer sentar com a categoria para ELABORAR E APROVAR o plano de cargos, carreiras e remuneração (PCCR) e os demais pontos da nossa pauta de reivindicação. Quem desrespeitou as leis do FUNDEB e do PISO, foi o governo.

Infelizmente nossos diretores sindicais agem pior do que muitos diretores de escolas. Agem como inimigos da categoria. Você lembra quantas notas a direção do SINPROESEMMA lançou este ano criticando o governo e defendendo a categoria? NENHUMA! Quantas vezes eles visitaram a sua escola para convidar você a lutar para garantir seus direitos? NENHUMA!

Ah, mas agora eles visitam escolas, lançam nota na imprensa para ameaçar e aterrorizar a categoria, pois sabem que o movimento grevista cresce a cada dia e que a vitória está próxima. Na passeata da última quarta-feira foram cerca de 1.200 pessoas, segundo o Jornal Pequeno. Trabalhadores em educação, alunos e pais de alunos estão dando as mãos em torno dessa grande causa que é a defesa da educação pública.

Por isso o desespero da governadora e da direção SINPROESSEMA é notório. Para intimidar o movimento ameaçam CORTAR O PONTO, mas a categoria sabe que pior do que ter o ponto cortado é ter os direitos destruídos, pois faltas são negociadas no final das greves, já direitos destruídos são quase irrecuperáveis. Então, você continua com medo? Nós também! Mas nosso medo não é de lutar, nosso medo é ver você aceitar isso passivamente.



Educador, faça da sua indignação a ferramenta necessária para mudarmos essa realidade.

ATO DIA 03/11
CONCENTRAÇÃO NA PRAÇA DA IGREJA DO SÃO FRANCISCO (em frente ao Hotel Skina)
16h
ENTERRO DO ACORDO SINDICATO-GOVERNO
(não esqueçam as velas)



Comentários

Tuba disse…
Não vou levar só velas, vou levar também uma coroa de flores... uma coroa de flor de cadáver, que é aquela flor da Indonésia que tem cheiro de carne podre.
Anônimo disse…
amigos contem com meu apoio e admiração,esse movimento deveria extendesse por todo o estado,contem comigo,devemos fazer uma corrente de luta contra esses governos demagógicos da educação e que contam com sindicatos sem compromisso com sua categoria como essa perpétua diretoria do sindicato.washington,timon-ma,fone(86)99785835(86)32322575
Anônimo disse…
Caros professores, estamos consciente de nossos direitos, mas estou começando a entender que não devemos lutar somente contra as manobras do Governo em dar pequenos aumentos. Mas acho que devemos fazer com esse sindicato venha pra rua conosco, ou então derrubamos eles, acho que que ao fazer manifestações em frente ao palacio, tambem deveriamos ir pra frente do simproessema! Assim eles não diriam que foi uma duzia de professores! E convocar essa diretoria pra um acerto de contas! Kd as atas das assembleias? Ou nos defendem ou derruba-se essa direção!
Alguem pode comentar!?
Anônimo disse…
Terrorismo à vista!
Não bastasse o desrespeito do sindicato / governo,
agora chegou a vez dos diretores de escolas da rede estadual. Não vamos ceder às pressões. Luta é luta.
Vocês viram o valor depositado das perdas salariais? (8%) UMA VERGONHA!!!
DIGA NÃO À OPRESSÃO!
Anônimo disse…
Nossa indignação tem que se transformar em ações na luta.

Claudia Silva - Cohab
Anônimo disse…
NÃO PODEMOS DESISTIR... O GOVERNO E O SINDICATO É UM NOJOOOOOOO!!! DEVEMOR DERRUBA-LOS

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …