Pular para o conteúdo principal

Reajuste dos educadores é pautado na ASSEMBLEIA LEGISLATIVA.

O deputado Edivaldo Holanda (PTC) apresentou emenda à medida provisória que estabelece os vencimentos dos servidores da educação básica maranhense. Holanda propõe um reajuste que equipare os vencimentos-base ao salário mínimo. Hoje, a categoria, em sua referência inicial, recebe R$ 46 a menos que o salário mínimo nacional vigente, de R$ 465.






Com a emenda de Edivaldo Holanda, os professores da educação básica receberiam acréscimo de pelo menos 9% em relação a proposta inicial do governo do Estado. Um exemplo são os profissionais de referência 1, que na mensagem do governo teriam um vencimento-base de R$ 419,10 a partir de 1º de outubro. Em janeiro esse valor subiria para R$ 427,49. Na conversão proposta por Edivaldo Holanda o valor referente a 1º de outubro ficaria em R$ 465 e a partir de janeiro de 2010, R$ 474,31.





No projeto do governo os servidores de referência intermediária (12) teriam vencimentos de R$ 494,29 a partir de 1º de outubro e R$ 504,18 em janeiro próximo. Na conversão parlamentar estes valores ficariam em R$ 548,42 e R$ 559,40.





Já os servidores de maior referência, 25, passariam a ter um vencimento-base de R$ 1.034,14 desde 1º outubro. Este valor, a partir do próximo ano seria reajustado para R$ 1.054,82, um ganho de R$ 9,87%.





“Meu objetivo é que o governo reconheça a importância deste profissional para a sociedade maranhense, equiparando o menor vencimento da categoria ao salário-mínimo. Na proposta do governo isso só acontece a partir do profissional enquadrado na referência 11. Essa era a principal reivindicação dos parlamentares que até poucos meses eram de oposição”, afirmou Edivaldo Holanda.





O projeto lei de conversão é uma emenda à mensagem governamental que trata do assunto e que estabelece um reajuste inicial de 8% aos servidores do grupo em relação ao último 1º de outubro e mais 2% a partir de 1º de janeiro do próximo ano.





O reajuste beneficia 36.957 servidores ativos, inativos e pensionistas, sendo que a despesa para o exercício de 2009 é estimada em R$ 6 milhões e para o ano de 2010 ficará em R$ 81 milhões. Todas estas despesas, incluindo a conversão proposta pelo parlamentar podem ser custeadas sem acarretar problemas para o orçamento estadual segundo a própria secretaria de Administração e Previdência e parecer técnico da Assembleia Legislativa.





A matéria já obteve o aval da comissão interna de Constituição, Justiça e Redação Final e deve ser levada para análise em plenário nos próximos dias.





A iniciativa de Holanda foi elogiada pelo presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Tavares. “Os deputados da outrora oposição e hoje governo, diziam que o governo do Estado não pagava o salário mínimo, e aí nós dizíamos que para efeitos legais contava o salário base e as gratificações. E eles diziam que não contava, que o salário mínimo tem que estar no salário-base. E agora, deputado Edivaldo Holanda, na Emenda há oportunidade para o governo de pagar o salário mínimo na base. Então como alguém pode dizer que a atuação de vossa excelência é uma atuação da má política? É uma atuação da boa política”, disse. “Está aí uma oportunidade de ouro: pagar o salário mínimo na base para o professor de acordo com a sua emenda”, acrescentou.





Os servidores do grupo ocupacional magistério da Educação Básica estão divididos em 25 categorias como professores, especialistas em educação e funcionários de escolas.













 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…