Pular para o conteúdo principal

Inclusão digital na escola pública

Internet rápida já chegou a 66% das escolas, mas professores ainda estão despreparados para tecnologia

A Câmara dos Deputados votará nesta semana o Projeto de Lei 1481/07, do senador Aloizio Mercadante (PT-SP), que torna obrigatório até 2013 a universalização do acesso às redes de informação, inclusive a internet, em estabelecimentos de ensino de todo o país. A medida deve ser aplicada em estabelecimentos públicos e particulares de educação básica e superior.

A proposição altera a lei que institui o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para estipular que 75% dos recursos arrecadados pelo Fundo, de 2008 a 2013, sejam aplicados no acesso às redes digitais. Os senadores haviam decido que o projeto seria votado com urgência. Mesmo assim, ele foi retirado da pauta na semana passada.

A informatização nas escolas públicas brasileiras anda a passos largos. De acordo com o último balanço divulgado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), 25.331 escolas públicas urbanas foram conectadas à internet banda larga em 2009. A ideia é que todas as escolas públicas urbanas estejam conectadas até o final deste ano. O que representará 37 milhões de estudantes beneficiados. Segundo o Ministério das Comunicações, o programa Banda Larga nas Escolas já atende 66% das escolas públicas urbanas do Brasil.

A conexão dos estabelecimentos de ensino público à internet de alta velocidade é resultado de uma parceria entre o Ministério das Comunicações, o MEC e as empresas operadoras de telefonia fixa, que trocaram a obrigação de levar os Postos de Serviços de Telecomunicações a todos os municípios até o fim de 2010 pelo compromisso de levar banda larga a todas as escolas públicas urbanas do Brasil, cerca de 64 mil estabelecimentos. Não há investimento dos ministérios, apenas das operadoras.

O secretário de Educação à Distância do MEC, Carlos Eduardo Bielscowsky, comemora a parceria: - As operadoras estão cumprindo rigorosamente o acordo de instalar banda larga nas escola públicas. E estão satisfeitas com o acordo econômico.

Apesar do MEC comemorar o resultado, o objetivo estipulado não foi alcançado A meta era que o programa alcançasse 80% das escolas públicas brasileiras até o final de 2009.

Enquanto a internet rápida não é universalizado nas escolas, as prefeituras buscam soluções.

Um exemplo é de Estância (SE), que fechou parceria com as lan houses. Em audiência pública na Câmara na semana passada, o prefeito da cidade, Ivan Leite, garantiu que os convênios com as lan housestêm um ótimo custo benefício porque não há gastos com manutenção. Segundo o prefeito, os computadores das escolas geralmente não são consertados quando quebram ou "ficam lindo e bem conservados porque a diretoria não deixa os alunos utilizarem".

Fonte: Jornal do Brasil/RJ

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…