Pular para o conteúdo principal

A GREVE CONTINUA! ELA É FORTE E ESTÁ NAS RUAS.

Companheir@s, iniciamos nossa greve dia 19/05 em função do descaso do prefeito João Castelo em relação a nossos direitos. Desde então, sofremos ataques semanalmente, que só objetivam pôr fim ao nosso movimento paredista. O governo age em três frentes: Primeiro afirmaram que a nossa greve tinha cunho político-partidário; logo após provocaram a judicialização do conflito, buscando desta forma impor multa diária ao sindicato e o corte de ponto dos educadores, sendo negado este último pedido; agora eles optaram por tentar manipular nossa categoria e, para tanto, fizeram e fazem de tudo: notas na mídia alardeando o corte do ponto (não autorizado judicialmente); reuniões isoladas nas unidades escolares, onde diretores induzidos pela SEMED, estão coagindo os educadores a assinarem um documento, comprometendo-se a retornarem às suas atividades laborais e a pagarem os dias parados imediatamente.Isso é crime, configurado como assédio moral, com pena prevista em lei para quem o comete. Nesse sentido, alertamos! Educador/a, não assine nenhum documento, em suas escolas, que objetive acabar com a nossa greve.

Tudo isso é inaceitável e não devemos nos deixar levar por essas ações. Acordo que põe fim a um movimento grevista, é o acordo coletivo fechado em nome de toda a categoria, após o entendimento entre os trabalhadores e o patrão (governo). Greve só acaba quando os trabalhadores, reunidos em assembléia convocada especificamente para tal fim, analisam a proposta encaminhada pelo governo e decidem acatá-la ou rejeitá-la.

A pressão sobre o executivo e o legislativo começa a ser realizada por outros segmentos da sociedade civil organizada. Os pais e alunos já perceberam que não vamos recuar diante das ameaças do Prefeito e, portanto, dentro em breve veremos manifestações de apoio a nossa luta por parte desses segmentos.

Sendo assim Educador/a, nossa melhor opção é permanecer na luta até garantirmos nossos direitos. Somente com muita persistência, união e determinação é que faremos o prefeito entender que os 112 mil alunos da rede municipal de ensino só voltarão a estudar se ele se dispuser a negociar, caso contrário, continuaremos em greve. Recuar agora é um equívoco e significa abrir mão dos nossos direitos. Esta escolha tem um preço altíssimo, de imediato potencializará nossas perdas salariais e permitirá que o governo municipal continue com a sua política sistemática de negação dos nossos direitos, na medida em que, não ofereceremos mais resistência, por não acreditarmos mais em nossa capacidade de luta e isso sem dúvida, será nosso maior prejuízo.

“Nada a temer senão o fugir da luta/ Nada a fazer senão esquecer o medo

Abrir o peito a força, numa procura/ Fugir às armadilhas da mata escura...” (Milton Nascimento)

Prof. Antonísio Furtado (membro do comando de greve)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …