Pular para o conteúdo principal

A GREVE CONTINUA! ELA É FORTE E ESTÁ NAS RUAS.

Companheir@s, iniciamos nossa greve dia 19/05 em função do descaso do prefeito João Castelo em relação a nossos direitos. Desde então, sofremos ataques semanalmente, que só objetivam pôr fim ao nosso movimento paredista. O governo age em três frentes: Primeiro afirmaram que a nossa greve tinha cunho político-partidário; logo após provocaram a judicialização do conflito, buscando desta forma impor multa diária ao sindicato e o corte de ponto dos educadores, sendo negado este último pedido; agora eles optaram por tentar manipular nossa categoria e, para tanto, fizeram e fazem de tudo: notas na mídia alardeando o corte do ponto (não autorizado judicialmente); reuniões isoladas nas unidades escolares, onde diretores induzidos pela SEMED, estão coagindo os educadores a assinarem um documento, comprometendo-se a retornarem às suas atividades laborais e a pagarem os dias parados imediatamente.Isso é crime, configurado como assédio moral, com pena prevista em lei para quem o comete. Nesse sentido, alertamos! Educador/a, não assine nenhum documento, em suas escolas, que objetive acabar com a nossa greve.

Tudo isso é inaceitável e não devemos nos deixar levar por essas ações. Acordo que põe fim a um movimento grevista, é o acordo coletivo fechado em nome de toda a categoria, após o entendimento entre os trabalhadores e o patrão (governo). Greve só acaba quando os trabalhadores, reunidos em assembléia convocada especificamente para tal fim, analisam a proposta encaminhada pelo governo e decidem acatá-la ou rejeitá-la.

A pressão sobre o executivo e o legislativo começa a ser realizada por outros segmentos da sociedade civil organizada. Os pais e alunos já perceberam que não vamos recuar diante das ameaças do Prefeito e, portanto, dentro em breve veremos manifestações de apoio a nossa luta por parte desses segmentos.

Sendo assim Educador/a, nossa melhor opção é permanecer na luta até garantirmos nossos direitos. Somente com muita persistência, união e determinação é que faremos o prefeito entender que os 112 mil alunos da rede municipal de ensino só voltarão a estudar se ele se dispuser a negociar, caso contrário, continuaremos em greve. Recuar agora é um equívoco e significa abrir mão dos nossos direitos. Esta escolha tem um preço altíssimo, de imediato potencializará nossas perdas salariais e permitirá que o governo municipal continue com a sua política sistemática de negação dos nossos direitos, na medida em que, não ofereceremos mais resistência, por não acreditarmos mais em nossa capacidade de luta e isso sem dúvida, será nosso maior prejuízo.

“Nada a temer senão o fugir da luta/ Nada a fazer senão esquecer o medo

Abrir o peito a força, numa procura/ Fugir às armadilhas da mata escura...” (Milton Nascimento)

Prof. Antonísio Furtado (membro do comando de greve)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…