Pular para o conteúdo principal

Professores da rede estadual sem reajuste e sem estatuto em 2010

Companheir@s, nossas suspeitas se confirmaram. A diretoria do sinproesemma ludibriou a categoria na última assembleia, quando afirmou que em agosto teríamos um reajuste de 15,94%. Desta forma induziu os professores a aprovarem a proposta de novo estatuto. Agindo assim, conseguiu nos prejudicar mais uma vez e agora, o prejuízo é em dobro. Ficamos sem reajuste e sem a conclusão do processo de reestruturação da nossa carreira (novo estatuto) em 2010.



Vejam o que diz a nota da SEDUC:



Estatuto do Educador será encaminhado à AL

A proposta de reformulação do Estatuto do Educador, discutida por técnicos das Secretarias de Educação (Seduc) e Administração e Previdência Social (Seaps) e do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma), será encaminhada para apreciação da Assembleia Legislativa. O anúncio foi feito, na segunda-feira (19), pelo secretário de Educação, Anselmo Raposo.



Durante a reunião de trabalho da comissão, ficou definido que a recomposição salarial dos docentes só poderá ser analisada a partir do próximo ano, devido a Lei de Responsabilidade Fiscal que proíbe o Governo do Estado, pelo prazo de 180 antes e depois das eleições de outubro, de promover qualquer medida com impacto financeiro na folha de pessoal.



O secretário Anselmo Raposo garantiu que a redação final do novo Estatuto do Educador será encaminhando o mais breve possível à Assembleia Legislativa. Caso seja aprovado, haverá uma recomposição salarial de 12% para os professores.



Representantes da Seduc e do Sinproesemma acordaram no avanço das negociações na proposta de reformulação do estatuto. Um dos avanços diz respeito à categoria funcional dos professores, que deverão ingressar na rede estadual com formação em nível superior.



As duas partes também acordaram com a eleição direta para gestores escolares da rede estadual de ensino, por meio de um colegiado formado pela comunidade escolar, compreendendo professores, alunos, pais de alunos, entre outros.



Fonte: ASCOM

Comentários

Marcelino disse…
Seria bom repassar esta mensagem na íntegra por email para podermos divulgar para o maior número de professores que pudermos, já que muitos ainda não tÊm o hábito de acessar e ler blogs.
Anônimo disse…
Gente não há uma forma de derrubar esse sindicato,to indignado com essas noticias! Será que nós temos de ficar mesmo algemados??

Nossa!!
Ninguem merece isso!Esse sindicato não tem vergonha!!
Anônimo disse…
Gostaria de comentar que os professores contratados, até hoje ainda não foram pagos!!
Disseram que iam pagar dia 20.07, mas cancelaram e vão marcar nova data, sabe-se lá quando!!
Marcia Oliveira disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcia Oliveira disse…
Também concordo que devemos repassar essa informação através do correio eletrônico para que o maior número possível de professores fiquem sabendo que fomos enganados. É só copiar a informação, colar e enviar.
mrp disse…
Já enviamos para os e-mails que constam em nossa lista de contatos. Quem mais desejar receber nossas mensagens, basta solicitar em: mrp.maranhao@gmail.com
Anônimo disse…
é uma falta de vergonha desses traidores, será q vamos deixar barato. Não devemos parar, e não devemos comparecer nessas assembleias desses pelegos, VAMOS BOICOTAR esses merdas.

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …