Pular para o conteúdo principal

DIERETORIA DO SINPROESEMMA ALIA-SE AO GOVERNO ESTADUAL, PREJUDICA MAIS DE 40 MIL PROFESSORES E AGORA CULPABILIZA O GOVERNO PELO FRACASSO DAS NEGOCIAÇÕES EM PROL DO NOVO ESTATUTO.

SINPROESEMMA - NOTA OFICIAL

Diante do resultado da mais recente reunião de negociação sobre o Estatuto do Educador maranhense realizada no dia 12 deste mês com representantes do Governo do Estado, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) vem a público:




1. Informar que, em total desrespeito aos educadores da rede estadual, o governo do Estado decidiu unilateralmente apresentar Proposta de Estatuto, que rasga mais de um ano de debates – internos da categoria e desta com o próprio governo –, alegando principalmente a necessidade de respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e as restrições do período eleitoral;



2. Denunciar que a Proposta de Estatuto ameaça a carreira profissional, conquista histórica, ao limitar e não fixar uma tabela salarial e deixar vagas as diversas formas de gratificações;



3. Lembrar que dias antes assembleias regionais do Sindicato haviam aprovado texto unificado de projeto de Estatuto do Educador, composto com a Seduc, ficando o impasse entre as partes restritas a constituição da tabela salarial;



4. Informar que esses mesmos fóruns deliberativos aprovaram estado de greve, a ser confirmada em novas assembleias;



5. Anunciar que até o dia 30 deste mês, serão realizadas assembleias para discutir a decisão unilateral do governo e deliberar sobre os caminhos a serem seguidos para a conquista de um democrático e avançado Estatuto do Magistério, não sendo descartados protestos e paralisações;



6. Cobrar do governo do Estado, com base nos debates já travados e da Assembleia Legislativa, o empenho para aprovação do Estatuto do Educador discutido com o Sindicato;



7. Reafirmar que o Sindicato está aberto ao diálogo em defesa dos interesses da categoria e do ensino público de qualidade, mas de forma autônoma e independente quanto a qualquer governo instituído.



São Luís, 18 de agosto de 2010



Júlio Pinheiro - Presidente do SINPROESEMMA

Atenção! Nós do MRP alertamos a categoria, desde o ano de 2009, para o perigo das manobras dessa diretoriazinha PELEGA DO SINPROESEMMA. Só agora, depois do "leite derramado" é que eles lançam nota afirmando que o governo explicou que temos que respeitar os prazos estabelecidos na Lei de Responsabilidade fiscal. O que demonstra que eles acham que nós somos um bando de idiotas ACÉFALOS. Nós já sabíamos que o combinado, SINDICATO - GOVERNO manobraria a todo custo para PREJUDICAR A NOSSA CATEGORIA. Portanto, fomos desafiados pelo governo e diretoria do sindicato. Está explícito que RECAI EXCLUSIVAMENTE SOBRE OS NOSSOS OMBROS A NECESSIDADE DE EMPREENDERMOS A LUTA EM PROL DO NOSSO REAJUSTE ANUAL (QUE TEMOS DIREITO), DA IMEDIATA GARANTIA DAS NOSSAS PROGRESSÕES E TITULAÇÕES E DA CONQUISTA DO NOVO ESTATUTO.







Por essas razões, nós do MRP, cansamos de esperar, sendo assim convidamos a tod@s para comparecerem a nossa reunião que acontecerá dia 24/08 (terça feira) às 17h 30 min no auditório do CEGEL. COMPAREÇAM!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …