Pular para o conteúdo principal

16 de setembro - Dia de Mobilização Nacional em prol do PISO. Vamos a luta!

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE convoca os educadores de todo o país para participarem, dia 16/09 (quinta-feira), de mais UM DIA DE LUTA em prol do PISO SALARIAL dos profissionais do magistério público. Nos estados e municípios a CNTE deliberou pela realização de grandes atos públicos. Nesse sentido, o Movimento de Resistência dos Profissionais da Educação – MRP convoca a todos educadores do Maranhão para participarem da MARCHA ESTADUAL EM DEFESA DA ESCOLA PÚBLICA, por direitos e pela valorização profissional da nossa categoria. Na ocasião repudiaremos a forma com que o Governo do estado tem tratado a educação pública e seus educadores.

NA LUTA PELOS NOSSOS DIREITOS

O atual momento em que passam os trabalhadores da educação no Maranhão, nos impõe uma urgente tomada de atitude. Durante o exercício do atual governo temos sido vitimados por uma série de ações que mais uma vez nos submete a um cenário de grandes prejuízos. No que pese a gigantesca propaganda publicitária do governo Roseana, a educação pública do Maranhão permanece agonizando. Desde que assumiu o governo, Roseana insiste no descumprimento do reajuste anual do salário dos educadores, garantido legalmente pela Lei do Piso, da mesma forma que não se mostra disposta a aprovar um novo Estatuto e construir um PCCR que garanta, entre outras questões: um instrumento de reajuste salarial anual; a automaticidade das progressões, titulações e promoções; eleição para diretor de escolas etc. Por outro lado, não percebemos na diretoria do SINPROESEMMA, o compromisso com a verdadeira luta em prol dos nossos interesses. Pelo contrário, o que temos visto até agora é um conjunto de ações que tem por objetivo maior favorecer os interesses políticos e partidários de alguns dirigentes. Durante os últimos dois anos a direção do sindicato tem se restringido a participar de reuniões em gabinetes e de criarem falsas expectativas na categoria com promessas falaciosas, como foi o caso da penúltima assembleia em que o presidente do sindicato prometeu um reajuste de 15,94% para os professores, a ser pago no mês de agosto. O resultado de todas essas manobras tem sido a perda de direitos (não assinatura das progressões, titulações); achatamento salarial (19,25% em 2 anos, pelo não cumprimento da Lei do Piso) e um grande descontentamento da categoria com a diretoria do sindicato, evidenciado, recentemente pelo fracasso das mobilizações da paralisação de 144 horas da semana passada, em que praticamente todos os educadores de São Luís se recusaram em participar, pois entenderam que aquelas atividades estavam sendo pautadas por interesses político-eleitorais.

No entanto, não podemos perder a nossa grande capacidade de luta e de resistência, em decorrência dos interesses particulares de alguns. Nesse sentido, o Movimento de Resistência dos Profissionais da Educação – MRP conclama a todos os educadores do Maranhão a participarem neste dia 16 de setembro (quinta-feira) da MARCHA ESTADUAL EM DEFESA DA ESCOLA PÚBLICA, para que juntos possamos mostra que temos força suficiente para derrotar os inimigos da educação. Não tenhamos ilusões, a superação das adversidades só será possível com a luta de todos nós.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …