Pular para o conteúdo principal

Eleições e educação: dos palanques aos compromissos de fato

Semana passada, a CNTE lançou sua plataforma educacional para as eleições 2010. Qualquer candidato pode assiná-la, caso concorde com as prioridades eleitas pela CNTE para se elevar a qualidade da educação pública e a valorização de seus profissionais.

Como não poderia ser diferente, o principal compromisso exigido pelos trabalhadores diz respeito ao cumprimento da Lei 11.738, sua vinculação à carreira, bem como a profissionalização e o reconhecimento dos demais educadores - os funcionários de escola - em planos de carreira unificados com o magistério ou próprios desse segmento de trabalhadores.
A partir de agora, cada Sindicato tem o compromisso de fazer chegar nossa pauta aos candidatos a governador, senador e deputados federal e estadual/distrital. A CNTE já está articulando a apresentação da Carta-Compromisso aos presidenciáveis e, tão logo consigamos (ou não) a adesão dos mesmos, divulgaremos em nossos meios de comunicação.

Uma das preocupações da CNTE em relação à política educacional refere-se ao caráter de continuidade das políticas articuladas com a sociedade civil e que constam das resoluções da 1ª Conferência Nacional de Educação. A visão sistêmica entre níveis e modalidades, a perspectiva de aumento do financiamento, a erradicação do analfabetismo, a formação qualificada e uma carreira digna para os servidores da educação não podem deixar de constar das plataformas educacionais dos candidatos, tampouco do novo Plano Nacional de Educação.

Nesta reta final de campanha eleitoral, convocamos cada um/a dos/as trabalhadores/as em educação brasileiros/as para observarem com atenção, e discutirem com seus colegas e estudantes, as prioridades da educação de sua cidade, estado e país. Vejam se as necessidades apontadas pelos candidatos atendem à demanda da comunidade escolar e se as mesmas são exequíveis. Não podemos mais cair em “contos demagógicos”. A educação é o passaporte para a plena cidadania e o voto consciente é mais que decisivo para a concretização do ideal de inclusão e bem estar de todo/a brasileiro/a.

 Fonte: CNTE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…