Pular para o conteúdo principal

Vem aí a 5ª marcha da periferia. Participe!

Movimento Hip Hop Organizado do Maranhão e o Comitê Pró-Periferia apresentam:



5ª marcha da Periferia “Reforma Urbana Já”!







Desde 1989 o Movimento Hip Hop Organizado do Maranhão “Quilombo Urbano” realiza os já tradicionais festivais de Hip Hop’s caminhando para a sua 21ª edição. No entanto, a partir de 2006, diante da intensificação dos conflitos entre a juventude das periferias, os quais chamamos de “guerra interna”, resolvemos organizar a Marchas da Periferia que é coordenada por um conjunto de entidades do movimento social, sindical e cultural denominado Comitê Pró-Periferia. Para sensibilizar e mobilizar o seu público alvo diversas atividades políticas e culturais serão realizadas nesses bairros culminando com uma grande caminhada pelo centro da cidade numa sexta-feira da semana da consciência negra, encerrando com o festival Hip Hop-Zumbi. Para o ano corrente, 2010, escolhemos como tema “Reforma Urbana Já”







POR QUE REFORMA URBANA JÁ?







“Sou um monstro criado por ti no lixão do Jaracati/ foi ali que vi minha mãe garimpando o lixo pra mim/ foi ali que eu vi meus irmãos todos negros com calos nas mãos/ atração pro boy que filmava da sacada de sua mansão/ foi ali que eu vi o contraste duas cidades numa cidade/ foi ali que eu vi que nós “era” patrimônio da desigualdade/ (O Imortal, Gíria Vermelha)



Nas últimas décadas o nosso planeta tem vivido um processo de urbanização e favelinização assustador que em sua essência reproduz as contradições do modelo de organização da sociedade capitalista. Enquanto urbanistas de gerações anteriores projetavam cidades para o futuro construídas de aços e vidros, a realidade mostra que em países como Etiópia e Bangladesh mais de 99% da população urbana moram em favelas. No Brasil o déficit habitacional chega a atingir cerca de 7,9 milhões de moradias (dados de 2006), um número impressionante se levarmos em consideração que o programa habitacional mais propagandeado pelo atual governo, o “Minha Casa, Minha Vida”, atingirá apenas um milhão de moradias, sendo apenas 400 mil para famílias com renda de até três salários mínimos. O estado do Maranhão é um exemplo critico desse processo de urbanização capitalista. Somos o estado com o maior déficit habitacional do país (36,5%) ao mesmo tempo em que São Luís tem o metro quadrado mais caro do nordeste. Preceitos básicos como o direito de ir e vir estão cada vez mais restritos. Em São Luís falta transporte público de qualidade e sobra vagas nos carros que já perfazem uma frota de mais de 300 mil veículos numa cidade com aproximadamente um milhão de habitantes. Não há aberturas de vias públicas para desafogar o transito caótico, nem muito menos ciclovias ou vias para pedestres. O plano diretor das grandes cidades é sempre modificado ao bel prazer das necessidades de reprodução do grande capital. Se por um lado sem-tetos são despejados ou removidos das áreas de ocupações, por outro lado, grandes empreendimentos como shoppings e condomínios de luxos são construídos em áreas de preservação ambiental com a total conivência dos governos que ainda os financiam. Aliás, os grandes invasores de terras da União em nossa cidade são os empresários do ramo imobiliário. Nas áreas de implantação dos grandes projetos no Maranhão grupos armados, os chamados milicianos, financiados por esses empresários intimidam moradores a deixarem suas terras e moradias, a exemplo do que vem ocorrendo no bairro do Quebra Pote na zona rural de São Luís. Nas periferias, além da precarização das habitações, inexistem espaços públicos para práticas culturais e esportivas, prevalecendo uma clara política de Estado de facilitar a entrada de drogas como crack e a merla que só tem alimentado a “guerra interna” entre a juventude negra e pobre, justificando assim a militarização desses bairros e a criminalização dos seus moradores.



PROGRAMAÇÃO



As atividades referentes a 5ª Marcha da Periferia acontecerão no período de 24 de outubro a 20 de novembro conforme segue abaixo:



· Dia 24 de outubro Atividade no Bairro Jardim América organizado pelo Núcleo de Mulheres Preta Anastácia-Quilombo Urbano.



Dia 28 de outubro debate “Reforma Urbana já” no Quilombo Cultural Lagoa Amarela, com representantes do Movimento Hip Hop Quilombo Urbano, CSP- Conlutas-MA, Comissão de Direitos Humano-OAB.( Local: Praça em frente ao prédio do Odilo Costa Filho - REVIVER)



· Dia 30 de outubro Atividade no Bairro Novo Angelim;



· Dia 07 de novembro Atividade no Bairro Liberdade;



· Dia 14 de novembro Atividade no Bairro IPASE.



· Dias 15 e 16 de novembro: palestra em escolas da rede pública de São Luís,



· Dia 17 de novembro: Lançamento da Revista Universidade e Sociedade nº46, edição especial sobre questão racial com presença de diversos autores dos artigos publicados na referida revista em represente do Movimento Negro Quilombo Raça e Classe do Rio de Janeiro. Local: UFMA



· Dia 18 de novembro: debate “Reforma Urbana Já” no Quilombo Cultural Lagoa Amarela, com representantes do Movimento Hip Hop Quilombo Brasil, MTST filiado a CSP-Conlutas e Centro de Cultura Negra do Maranhão e Quilombo Raça e Classe-RJ.



· No dia 19 de novembro:



- 8h - Reuniões a partir da formação de Grupos de Trabalhos divididos em temáticas como gênero, raça, cultura, etc;



Local: Sindicato dos Bancários



- 15h - Realização da V Marcha da Periferia. A concentração acontecerá em frente à Biblioteca Pública Benedito Leite na Praça Deodoro no Centro Comercial de São Luís de onde seguirá a passeata. Uma pauta de reivindicações com base na temática “Reforma Urbana” que será entregue aos governos estaduais e municipais.



- 19h - realização do 20º Festival Hip Hop - Zumbi no Centro Cultural Circo da Cidade localizado no Bairro Praia Grande no Centro Histórico de São Luís. Esse evento será também um momento de confraternização entre todas as entidades parceiras e do Quilombo Urbano.



· Dia 20 de novembro



- 9h - Visita a bairros da periferia de São Luís.



- 14h - Reunião do MHM Quilombo Brasil para avaliação da atuação dessa entidade no ano 2010 e encaminhamento do calendário de lutas para o primeiro semestre de 2011.



- 19h - Atividade cultural no Bairro da Liberdade em São Luís, considerado o de maior contingente negro desta cidade e o mais criminalizado pelo Estado e pela mídia comercial burguesa.



ENTIDADES PARCEIRAS: CSP-CONLUTAS-MA, MOVIMENTO NEGRO QUILOMBO RAÇA E CLASSE, SINASEFE-MA, APRUMA, SINTRAJUFE-MA, SINDICATOS DOS BANCÁRIOS-MA, ANEL, C.A. DE SERVIÇO SOCIAL-UFMA, D.A. DE FARMÁRCIA-UFMA, DCE-UEMA, LUTA URBANITÁRIOS, M.R.P. G.T. EM EDUCAÇÃO- CSP CONLUTAS, COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS-OAB, GRIOUT-UFMA.

Comentários

Marcelino disse…
Seria bom que fosse postado o endereço do Quilombo Lagoa Amarela

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Baixaria na Assembleia de Prestação de Contas do Sinproesemma

Dia 24/06 (sábado), aconteceu no Praia Mar Hotel em São Luís a assembleia de prestação de contas do Sinproesemma.
O auditório em que aconteceu a assembleia comportava 120 assentos e cerca de 90% deles foram ocupados por educadores que estavam hospedados no hotel, pois vieram de alguns municípios localizados no continente. Poucos educadores eram da capital e isso se deu por que a diretoria do sindicato (SUB JUDICE) não divulgou a realização da assembleia nas escolas da grande ilha e nem convocou os trabalhadores nos seus  meios de comunicação.
O debate foi iniciado e ao longo dele, chamou bastante atenção o embate  entre os membros da diretoria, que se alfinetaram e também fizeram acusações graves. O presidente Raimundo Oliveira tentou cercear a fala da ex- presidente Benedita, mas foi reprovado por alguns professores.


Veja abaixo vídeos e os dois balancetes apresentados aos educadores. Neles, dentre outras coisas, chama atenção o volume de recursos que a diretoria do sindicato diz ter…