Pular para o conteúdo principal

Seduc e Sinproesemma retomam negociação sobre o Estatuto do Educador

As negociações sobre a proposta revisada de reformulação do Estatuto do Educador foram retomadas na noite da última segunda-feira (17) pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Educação (Seduc), e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma). “A construção do estatuto é uma das prioridades da governadora Roseana Sarney para valorizar os profissionais de educação”, declarou secretaria de Educação, Olga Simão.

A primeira reunião de trabalho entre os representantes da Seduc e do Sinproesemma contou com a participação da secretária Olga Simão; do secretário chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva; da secretária adjunta de Planejamento e Orçamento da Seduc, Ivana Aparecida Colvara de Sousa; secretário adjunto de Gestão Institucional, Fernando Silva; presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro; e demais representantes do sindicato. Uma nova reunião será realizada na próxima segunda-feira (24).

O Estatuto do Educador vinha sendo construído a quatro mãos, mas as negociações foram suspensas 90 dias antes das eleições de outubro, por força da legislação eleitoral. A lei proíbe medidas de impacto financeiro no orçamento estadual até 90 dias depois da conclusão do processo do presidente da República, governadores e cargos proporcionais.

Para a secretária de Educação, Olga Simão, a primeira reunião para a retomada das negociações da construção do Estatuto do Educador foi importante para se mensurar o impacto financeiro na folha de pagamento e no orçamento do Estado. Olga Simão reconheceu que as reivindicações dos sindicalistas são justas, mas lembrou que existe a limitação orçamentária do Estado.

Na próxima reunião de trabalho, os números do orçamento serão apresentados, acompanhados de uma proposta explicativa de escalonamento para a construção de uma agenda positiva. “Essa é uma orientação do Governo do Estado para que a Seduc trabalhe em conjunto com os sindicalistas, priorizando a educação a partir da valorização dos trabalhadores de educação, conforme determinação da governadora Roseana Sarney”, assinalou Olga Simão.

Para o presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro, a reunião de trabalho com a secretária Olga Simão foi fundamental para apresentação de pontos que ainda precisam ser tratados e para apresentação de demandas do sindicato que devem ser analisadas até o início do ano letivo.

Ele disse que o Sinproesemma deliberou pelo estado de greve desde que as negociações foram interrompidas, mas aguarda de forma otimista a definição do governo sobre a proposta negociada. Pinheiro adiantou que na próxima reunião de trabalho a categoria vai analisar a contraproposta do governo sobre a composição da tabela salarial.

“A categoria está disposta a retomar a discussão sobre os pontos ainda sem consenso e, em particular, a nova tabela salarial”, ponderou.


Fonte: Ascom/ SEDUC-MA
Data 18/01/11

ATENÇÃO! Esse de azul é o Sr FERNANDO SILVA, NA SEDUC ele é o secretário adjunto de gestão institucional e no SINPROESEMMA ELE É SIMPLESMENTE O VICE-PRESIDENTE.

Comentários

Prof. Henrique disse…
Muito bom que o governo tenha aberto as negociações. Ninguém quer greve. Mas temos que ficar atentos para as manobras do governo e, infelizmente, às da direção do SINPROESEMMA. A qualquer indício de tentar nos levar em "banho maria", para que o ano letivo de 2011 recomece,devemos pressioná-los com greve, sem interrupção, até que nossos direitos sejam atendidos..Para tanto, precisaremos "engolir alguns sapos" sem deixar aflorar as diferenças entre categoria e direção do SINPROESEMMA para que, juntos, possamos ter representação legal e assim, mais força e adesões. Vamos esquecer o radicalismo! (coisa de idiota). As brigas entre direção e categoria só fazem fortalecer suas manobras.
Marcia Oliveira disse…
A SEMED fechou a UEB Luís Viana, deixando centenas de crianças do bairro da Alemanha e Adjacencias sem escola.Ainda acabou com o 1º e 2º ciclos da UEB Senador Miguel Lins.

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …