Pular para o conteúdo principal

Resultado do ato de hoje (12/04) na assembleia legislativa.

Companheir@s, hoje comparecemos ao plenário da A. legislativa e lotamos a galeria daquela casa, após protestarmos veementemente contra a postura dos deputados aliados da oligarquia e sermos ameaçados de despejo, nos foi prometido que seríamos recebidos pelos deputados membros da comissão de educação da A.L.

Após aguardarmos o fim da sessão do grande expediente, que se deu por volta do meio dia, nos informaram que formássemos uma comissão de 20 professores, para participar na sala das comissões de uma reunião com os deputados que a integram e mais alguns outros que demosntraram "interesse" no debate sobre a greve.


A reunião foi iniciada as 12h 25min e contou com a presença dos deputados César Pires (presidente da comissão de educação); Bira do Pindaré; Rubens P. Jr; Luciano leitoa; R. Costa; André Fufuca; Carlinhos Amorim; Cleide Coutinho; Carlos Braide e Valéria Macêdo, além dos membros da diretoria do sindicato e de professores da base.


Após um longo debate de mais de 2 horas, foi decidido que o presidente da comissão de educação entrará em contato com a secretária Olga e solicitará a realização de uma reunião, onde os deputados integrantes dessa comissão, em companhia de membros da nossa categoria buscarão o entendimento entre as partes e desta forma tentaremos encontrar uma solução para a greve. Esperamos que desta vez o governo apresente uma proposta que será levada para a categoria e esta a apreciará em assembleia.


O Presidente do Comissão de educação informou que amanhã ligará para o sindicato informando o dia em que essa reunião acontecerá. 
 
Agora só nos resta aguardar um pouco mais. 
 
A greve continua!
 
Agenda de amanhã:
 
Pela manhã passremos nas escolas da Cidade Operária, com concentração as 7h30min no Centro de Ensino Paulo VI (antigo 29 de outubro) na UEMA.
 
Pela tarde faremos um ato no Itaqui Bacanga a partir das 15h, com concentração na praça do anjo.

Comentários

an-dra-de disse…
Vamos que vamos a vitória esta chegando
Jacqueline disse…
Esse ato na ALEMA serviu, no mínimo para derrubarmos esse impropério criado pelo Gestor da regional de Barra do Corda.
Positivo...
e qtos aos colegas q já retornaram, rompendo td o q almejamos???

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…