Pular para o conteúdo principal

Após assistir a categoria em São Luis rejeitar INTEGRALMENTE a proposta defendida pelo SINDICATO - GOVERNO. Vejam o que foi postado no site do SINPROESEMMA.

Metade das assembleias já realizadas aceitou a proposta de reajuste do governo


Das 14 assembleias regionais do Sinproesemma já realizadas, até esta quarta-feira, 5, sete aceitaram, integralmente, a proposta do governo do Estado para o reajuste da tabela salarial dos professores. Seis regionais aceitaram, com ressalvas, referentes ao parcelamento do reajuste, e apenas uma, a de São Luís, rejeitou a proposta.


O reajuste de 20%, da 13ª à 25ª referência da tabela salarial, com aplicação de 12% neste mês de outubro e o restante (8%) parcelados em duas vezes, nos meses de março e setembro de 2012, assim como a incorporação de 20% da GAM ao vencimento, são os principais itens que estão sendo avaliados pelos educadores nas assembleias regionais. Para a faixa da 1ª à 12ª referência da tabela, o governo propõe reajustes diferenciados que variam de 38.84% à 22%.

Rosário, Pedreiras, Pinheiro, Codó, Bacabal, Itapecuru e Balsas aceitaram a proposta integralmente, mas em Caxias, Viana, Imperatriz, Chapadinha, Santa Inês e Timon, a aceitação foi parcial. Nessas regionais, os educadores não concordaram com os prazos extensos dos parcelamentos em 2012.

Em São Luís, a assembleia contou com a participação de cerca de 200 educadores, mas apenas 105 se posicionaram no momento da votação, sendo 62 contra a proposta e 43 pela aprovação parcial, com ressalvas para discutir o parcelamento previsto para 2012.


Os 62 educadores que votaram contra a proposta acompanharam a posição dos líderes da oposição à direção do Sinproesemma, que defenderam a retomada das negociações com o governo, tendo como base a mesma tabela que o sindicato já apresentou no início das mesas de negociações em torno do reajuste. A tabela que o sindicato apresentou, inicialmente, cobrava o reajuste do Piso Salarial Nacional, de 38,84%, sobre todas as 25 referências salariais da tabela atual dos professores.

“A proposta que a oposição defende é a mesma que já apresentamos ao governo em duas reuniões no início das negociações e não foi aceita pelo governo. Fizemos várias tentativas, mas é difícil negociar com um governo que tem linhas conservadoras de sempre negar conquistas aos trabalhadores. Nesse momento precisamos garantir um reajuste emergencial e ampliar as conquistas com a aprovação do Estatuto do Educador, que o governo tem prazo para enviá-lo à Assembleia Legislativa até o dia 24 deste mês”, avalia o presidente do sindicato, Júlio Pinheiro.

“A posição de rejeição integral à proposta do governo, defendida pela oposição (MRP) condena mais de 35 mil trabalhadores da educação a ficar sem reajuste nenhum e apenas cinco mil terem seus salários reajustados. A proposta da oposição, de rejeitar 12%, é fazer o jogo do governo, que quer dar reajuste apenas para quem está abaixo do piso, um número menor de trabalhadores. A posição do MRP é quanto pior, melhor”, destacou o diretor de comunicação do Sinproesemma, Júlio Guterres.

Ainda faltam os resultados das assembléias de Presidente Dutra, Barra do Corda, Zé Doca e São João dos Patos, que encerram na próxima sexta-feira. “Somente com esses resultados fechados, vamos avaliar que encaminhamentos serão dados para continuar a revisão e discussão sobre o Estatuto, que tem prazo para ser enviado à Assembleia e precisa de atenção especial dos educadores e da diretoria do sindicato’, conclui o presidente.

leia o post na íntegra acessando o link:http://www.sinproesemma.org.br/2011/10/5/metade-das-assembleias-ja-realizadas-aceitou-a-proposta-de-reajuste-do-governo-2662.htm

Esclarecimentos segundo o MRP.
Reproduzimos parcilamente a nota do sindicato e nela é necessário desmentir os diretores do sinproesemma. Vejamos:

1- A proposta apresentada pelo MRP e aprovada pela categoria hoje, em São Luis, DIFERE DAQUELA QUE O SINPROESEMMA DISPONIBILIZOU NA PROPOSTA DE ESTATUTO.
2- Não somos contra o reajuste salarial e muito menos desejamos condenar nenhum membro da nossa categoria a ficar sem reajuste. O que defendemos é a aplicação da LEI DO PISO, A MANUTENÇÃO DOS PERCENTUAIS DE 100% E 130% DA GAM, BEM COMO O INTERSTÍCIO DE 5% ENTRE AS REFERENCIAS DE CADA CLASSE.
3- A diretoria do SINPROESEMMA faz o jogo do governo e usa de toda a sua artimanha para PERMITIR QUE O GOVERNO NÃO CUMPRA A LEI DO PISO EM 2011 E NOS ANOS SEGUINTES.
4- Hoje em São Luis, os professores impuseram uma FRAGOROSA DERROTA À PROPOSTA DO SINDICATO - GOVERNO. Isso parece ter desetruturado toda a diretoria. Observem como eles já não conseguem concatenar suas idéias. Veja os recortes do post acima:

Os 62 educadores que votaram contra a proposta acompanharam a posição dos líderes da oposição à direção do Sinproesemma, que defenderam a retomada das negociações com o governo, tendo como base a mesma tabela que o sindicato já apresentou no início das mesas de negociações em torno do reajuste. A tabela que o sindicato apresentou, inicialmente, cobrava o reajuste do Piso Salarial Nacional, de 38,84%, sobre todas as 25 referências salariais da tabela atual dos professores.

A posição de rejeição integral à proposta do governo, defendida pela oposição (MRP) condena mais de 35 mil trabalhadores da educação a ficar sem reajuste nenhum e apenas cinco mil terem seus salários reajustados. A proposta da oposição, de rejeitar 12%, é fazer o jogo do governo, que quer dar reajuste apenas para quem está abaixo do piso, um número menor de trabalhadores. A posição do MRP é quanto pior, melhor”, destacou o diretor de comunicação do Sinproesemma, Júlio Guterres.


Dá pra entender, ora dizem que defendemos o reajuste de 38,84% para todas as referências e depois afirmam que condenamos mais de 35 mil trabalhadores a ficar sem reajuste.

O MRP espera que os companheiros dos municípios em que as assembleias ainda não aconteceram se espelhem nas assembleias já realizadas, que rejeitaram parcial ou integralmente a prosta do SINDICATO - GOVERNO, para que assim possamos EXIGIR A APLICAÇÃO DA LEI DO PISO ANUALMENTE, sem mais prejuízos para a nossa cagtegoria. Professor/a, aceitar a proposta defendida e apresentada pelo SINDICATO -GOVERNO É ATACAR A LEI DO PISO e isso se reverterá em mais perdas salariais para vc mensalmente. 














Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…