Pular para o conteúdo principal

O fogo amigo do PC do B a serviço do inimigo de classe: na mira o professor Antonísio Furtado.

Stalin ficou mundialmente conhecido pela eliminação física dos seus adversários políticos, a exemplo de Leon Trotski, por estabelecer alianças espúrias com o imperialismo e o nazismo, por autorizar invasões de países como a Polônia e por ajudar a derrotar dezenas de processos revolucionários em todo o mundo.

O PC do B, por sua vez, ficou conhecido pela reprodução das práticas stalinista no Brasil, sobretudo pelas alianças com a direita e as depurações políticas de militantes de esquerda. E é por ser portador dessa praga stalinista que a direção do SINPROESSEMA, ligada ao PC do B e a CTB do Maranhão, tem feito de tudo para execrar politicamente do seio do movimento docente o professor Antonísio Furtado, membro do Movimento de Resistência dos Professores (MRP).

Aproveitando-se de falsos professores que tem postado comentários depreciativos contra membros da direção do SINPROESEMMA na comunidade do Orkut S.O.S. Professor, o PC do B tem judicializado processo atrás de processo contra o professor Antonisio Furtado. Primeiro foi a vice-presidente do SINPROESEMMA, professora Janice Nery, depois o secretário de comunicação, Júlio Guterrez e por ultimo a secretária de finanças Hildinete Rocha.

Cabe lembrar que o professor Antonísio trabalha nos três turnos, dedica parte do seu tempo livre a militância em defesa da categoria, não sobrando tempo para acompanhar todos os comentários postados na comunidade S.O.S. Professor que é uma das mais acessadas pelos professores do Maranhão. Por outro lado, todo mundo sabe que qualquer comunidade, site ou blog que tenha um formato democrático como o supracitado está sujeito a esse tipo de situação, ao contrario do site do SINPROESEMMA onde a categoria de professores está impedida de postar comentários. Aliás, há uma forte impressão entre a categoria de que os comentários depreciativos podem ter partido de fackeres com o propósito de prejudicar o professor Antonisio.

Quem não se lembra que na última greve foi exigido e aprovado que a direção do SINPROESEMMA deveria publicar uma edição jornal do sindicato, o D’ Classe, esclarecendo a população sobre os motivos da greve, mas o PC do B fez ouvido de mercador. No entanto, foi só sair a sentença da justiça burguesa contra o professor Antonísio para essa mesma direção publicar uma edição do D´Classe que tem como matéria central o referido caso.

Na verdade o professor Antonisio é só mais um da classe trabalhadora que em escala nacional vem sendo atacada pela política stalinista desse partido. Vejamos alguns recentes casos.

Em meados desse ano o deputado federal Aldo Rabelo (PC do B) conseguiu, como relator, defender e aprovar o novo Código Florestal de acordo com os interesses dos latifundiários. Na seqüência diversos quilombolas, sem terra e ambientalistas foram assassinados em todo o Brasil e continuam sendo.

Outro caso que chamou a atenção foi o da vereadora Rose Sales do PC do B. A mesma propôs que a câmara de São Luís homenageasse uma das lideranças religiosas mais homofóbica do Brasil, o pastor Silas Malafaia. Rose Sales chegou a ser mais reacionária que a reacionária câmara de vereadores de São Luís, que rejeitou sua ridícula proposta.

Recentemente os deputados federais do PC do B e do PT votaram a favor da MP 532 que privatiza o mais eficiente serviço público do Brasil que é os Correios. Esse foi um dos motivos da última greve da categoria, levada a cabo contra a vontade da CTB e do PC do B que dirigem a FENTECT (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios).

Agora, ganha o noticiário nacional o caso de desvio de verbas no Ministério dos Esportes, cuja pasta pertence ao PC do B. De acordo com as denúncias, o ministro dos esportes, Orlando Silva (PC do B), estaria desviando recursos do programa “Segundo Tempo” para beneficiar entidades ligadas ao PC do B. É importante lembrar que o Ministério dos Esportes foi ocupado no dia 24 de agosto por centenas de militantes de movimentos urbanos que protestavam contra a remoção das comunidades que ficam próximas aos locais onde serão realizados os jogos da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016. Até o momento 70 mil famílias já foram removidas.

Está claro que o calibre stalinista do PC do B apontado contra o professor Antonísio é, antes de tudo, político. É a tentativa desesperada de desmoralizar um dos professores mais dedicados a luta em defesa da categoria e da educação pública, isso há pouco mais de um ano antes das primeiras eleições direta do SINPROESEMMA.

Essa tentativa ocorre também paralela a negativa da governadora Roseana Sarney em aplicar a Lei do Piso Nacional para professores. A direção do SINPROESEMMA poderia, tal como reza a lei do piso, impetrar uma ação de improbidade administrativa contra Roseana Sarney. Mas não, o inimigo do PC do B são aqueles da própria categoria que se negam a se alinhar as odiosas políticas e práticas stalinistas. São aqueles que se negam a defender alianças e acordos espúrios com os governos e a burguesia. É inadmissível constatar que o PC do C/CTB utilize a acessória do nosso sindicato para processar um membro da própria categoria, enquanto os ataques de Roseana Sarney estão sendo por eles abençoados nas diversas regionais do Maranhão. Resta saber quem será a próxima vítima do fogo amigo do PC do B. Só temos uma certeza, será da oposição!



Movimento de Resistência dos Professores (MRP)

Setorial de Educação da CSP Conlutas do Maranhão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …