Pular para o conteúdo principal

Não falta dinheiro! O que falta é vontade política em se valorizar o magistério público estadual e vergonha na cara de muita gente.

Enquanto a diretoria do SINPROESEMMA (PCdoB/PT/CTB) limita-se a lamentar a não concessão do reajuste salarial, o governo faz a farra com os recursos do fundeb. Ressalta-se, recentemente a fundação José Sarney foi estatizada e será mantida com os recursos da educação.


Vejam só:

A previsão de receitas para o FUNDEB (rede estadual) ano 2011 é de:

R $ 1.004.724.846,72

Desse montante, já foi creditado até o dia 12/11 o total de R $ 956.518.193,40. Esse valor supera o volume de recursos totais destinados à rede estadual em 2010. Ano passado os recursos foram da ordem de R $ 760.638.371,64. Hoje, isso representa um crescimento da ordem de 25,75% e em se efetivando a previsão de receitas, teremos um crescimento de 32,08%, no final do ano.

Lamentavelmente, governo e diretoria do SINPROESEMMA desconsideram esses números, na medida em que, o primeiro afirma para a nossa categoria ter dificuldades financeiras e que por isso, só pode conceder o reajuste de 20% parcelado (nov/11; março/12 e set/12) para os professores das classes 3 e 4, os demais não terão reajuste algum em 2012.O segundo faz um jogo de cena no intuito de ludibriar a nossa categoria, entretanto, suas ações servem mesmo aos interesses governistas que dia após dia vem ganhando tempo e a nós tem restado somente prejuízos. Hoje toda a nossa categoria deseja esse reajuste, porém, para que ele seja concedido é necessário a aprovação do PL 248/11. Esse projeto de lei construído pela parceria GOVERNO -SINDICATO não versa exclusivamente sobre o reajuste salarial, mas tambem objetiva reestruturar o ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  e aqui é que mora o perigo, afinal o governo concede o reajuste mas modifica a seu modo a nossa política salarial, sendo assim, sairemos perdendo, na medida em que ela não está pautada na lei do PISO. Essa proposta de alteração do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO deveria ser discutida com a nossa categoria, entretanto, isso não acontecerá. Porque será que a diretoria do sindicato  não realizou uma única assembleia para ouvir a nossa categoria a esse respeito?
Observem que os dirigentes do SINPROESEMMA nunca fizeram o debate desses números conosco e certamente, também não o realizaram com o governo. Quem já ouviu no programa de rádio, na tv ou mesmo no jornal do sindicato esses esclarecimentos? Aqui, não podemos nem de longe imaginar que nossos dirigentes sindicais não o realizam por desconhecer esses números, agem de caso pensado, há toda uma intencionalidade por trás disso, afinal para garantir os interesses particulares de um grupo é necessário sacrificar os direitos da maior categoria de servidores públicos estaduais. Por essas e outras é que ano após ano somos ultrajados em nossos direitos e sofremos as consequências da maléfica política de arrocho salarial. Não podemos esquecer que essa parceria GOVERNO-SINDICATO já nos prejudicou por demais, quem não lembra dos 7 anos em que ficamos sem reajuste salarial, nos dois primeiros governos de Roseana? Até quando permitiremos que aliados do governo estejam a frente da nossa estrutura sindical? Se não mudarmos isso, dificilmente a nossa realidade será transformada.

Obs: Os números acima foram retirados do site do FNDE.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…