Pular para o conteúdo principal

Resultado da ASSEMBLEIA do SINDEDUCAÇÃO

Companheiros,


Na última sexta feira aconteceu na FETIEMA a assembleia dos profissionais da educação municipal de São Luís. Após os informes prestados pela mesa, o assessor jurídico do SINDEDUCAÇÃO explicou exaustivamente a situação caótica em que se encontra a nossa categoria, em função do descumprimento do ACORDO fechado com o prefeito municipal ano passado, logo após o término da GREVE.

A diretoria do SINDEDUCAÇÃO defendeu que fizéssemos um novo acordo com o prefeito e que, caso este não fosse assinado até o dia 15 de janeiro, nós entraríamos em greve. O professor ANTONÍSIO FURTADO defendeu que não se fechasse um novo acordo com a prefeitura, mas que entrássemos em estado de greve naquela assembleia e que se o Sr Prefeito não cumprir o que fora acordado com a nossa categoria em 2010 e retire a ADIN que objetiva acabar com a PROGRESSÃO VERTICAL até o dia 15 de janeiro, deflagraremos GREVE GERAL da nossa categoria. Essa proposta foi aceita por unanimidade e ficou acertado que a nossa próxima assembleia acontece na primeira quinzena de janeiro/12.

Conheça os nossos pleitos:


Pauta de reivindicações:

A pauta de reivindicações que a CATEGORIA deseja que seja cumprida pelo governo até 15 de janeiro, algumas quase todas já com decisões judiciais a favor da categoria, é a seguinte:

1-Descumprimento do acordo judicial realizado nos autos do Proc. Nº 17.044/2010, especificamente em relação ao não pagamento dos retroativos das progressões verticais e horizontais;

2- Descumprimento das ordens judiciais prolatadas nos autos dos processos: nº 7229/2009 (ordem para atualizar a tabela de vencimento do magistério a partir de 2004) e 18.823/2010 (ordem determinando a retificação da progressão vertical, com a manutenção da progressão horizontal);

3- Paralisação dos processos administrativos de aposentadoria voluntária e das progressões verticais e horizontais de 2010 e 2011;

4- Ação Direta de Inconstitucionalidade, que tem como objetivo retirar do Plano de Cargos, Carreira e Vencimento do Magistério o instituto da Progressão Vertical;

5- Das más condições das unidades de ensino e seus anexos;

6- Bloqueio no fornecimento dos contracheques e ficha funcional dos servidores do magistério



Atenção! Essa pauta foi retirada do site do SINDEUCAÇÃO. http://www.sindeducacao.com.br/web/index.php?option=com_content&view=article&id=109:assembleia-decide-castelo-tem-ate-o-dia-15-de-janeiro-para-atender-as-reivindicacoes-dos-professores&catid=1:noticias&Itemid=2

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…