quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Seria cômico se não fosse trágico!

Sindicato cobra do governo pagamento do piso e reajuste salarial


Nesta segunda-feira, 21, o presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro, cobrou novamente do secretário de Estado de Educação, João Bernardo Bringel, uma posição sobre o pagamento das diferenças que o governo deve aos professores, referentes à recomposição dos salários e à aplicação do piso nacional do magistério.

O secretário informou ao presidente que a lei que garante o reajuste e o piso, aprovada pela Assembleia Legislativa, na semana passada, seria sancionada nesta terça-feira, 22, e que após o ato, receberia orientações do governo de como efetuar o pagamento, que conforme o acordo com o sindicato, é retroativo a 1º de outubro.

Manifestação pública

Embora não tenha definido data para o pagamento, o secretário também adiantou ao presidente que o governo estuda a possibilidade de abrir a folha de novembro para incluir as diferenças de outubro e a emissão de uma suplementar para pagar a diferença de novembro. “Porém, é somente um estudo, sem definição de prazo. Se o governo não anunciar até esta sexta-feira uma data definitiva para pagar o reajuste, a direção do sindicato vai convocar a categoria para se manifestar publicamente”, disse Pinheiro.


Fonte: Site do SINPROESEMMA
Data de Publicação: 22 de novembro de 2011 às 21:01


CONSIDERAÇÕES DO MRP:

1- No pós greve, governo e diretoria do SINPROESEMMA firmaram acordo onde a primeira parte se comprometeu em pagar o PISO 30 dias após a publicação do acórdão. Isso não aconteceu. Amanhã dia 23, completará não 30 dias, mais exatos 90 dias e nada de PISO, e a proposta de ESTATUTO DO EDUCADOR  sequer foi enviada para a assembleia legislativa.

2 - Com a publicação do acórdão, o Governo enviou um projeto de lei para a assembleia, este, de início, só serviu para o Governo ganhar tempo, na medida em que para se fazer alterações mínimas nesse projeto de lei, levaram quase um mês, nas intermináveis reuniões entre sindicato e Governo.

3- Em seguida o Governo dissera que só aplicaria o PISO após a aprovação do PL 248/11. Aqui, vale destacar que a diretoria do SINPROESEMMA se superou, quando afirmou que além de termos que esperar a aprovação do PL, teríamos que aguardar um prazo de uma semana para que se fizesse a folha suplementar. Governadora coloque computadores nessas secretarias.

4 - Agora,  o secretário de educação afirma que só pagará o PISO depois que a Governadora sancionar a aprovação do PL 248/11.


Não temos dúvida, o Governo só age de forma desrespeitosa com a nossa categoria, porque tem em suas mãos a diretoria do SINPROESEMMA. Francamente, como a maior categoria de servidores públicos estaduais permite que essas pessoas continuem a frente da nossa entidade de classe?

Fora pelegos!

Um comentário:

Nadja disse...

..."a direção do sindicato vai convocar a categoria para se manifestar publicamente" se...

A direção só agora lembrou de que a categoria existe? Não teve a decência de nos convocar para plenárias e assembleias para discutir esse engodo. Professores, peguem vossos apitos e faixas e vamos fazer o que "o mestre mandar". Francamente!