Pular para o conteúdo principal

Seria cômico se não fosse trágico!

Sindicato cobra do governo pagamento do piso e reajuste salarial


Nesta segunda-feira, 21, o presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro, cobrou novamente do secretário de Estado de Educação, João Bernardo Bringel, uma posição sobre o pagamento das diferenças que o governo deve aos professores, referentes à recomposição dos salários e à aplicação do piso nacional do magistério.

O secretário informou ao presidente que a lei que garante o reajuste e o piso, aprovada pela Assembleia Legislativa, na semana passada, seria sancionada nesta terça-feira, 22, e que após o ato, receberia orientações do governo de como efetuar o pagamento, que conforme o acordo com o sindicato, é retroativo a 1º de outubro.

Manifestação pública

Embora não tenha definido data para o pagamento, o secretário também adiantou ao presidente que o governo estuda a possibilidade de abrir a folha de novembro para incluir as diferenças de outubro e a emissão de uma suplementar para pagar a diferença de novembro. “Porém, é somente um estudo, sem definição de prazo. Se o governo não anunciar até esta sexta-feira uma data definitiva para pagar o reajuste, a direção do sindicato vai convocar a categoria para se manifestar publicamente”, disse Pinheiro.


Fonte: Site do SINPROESEMMA
Data de Publicação: 22 de novembro de 2011 às 21:01


CONSIDERAÇÕES DO MRP:

1- No pós greve, governo e diretoria do SINPROESEMMA firmaram acordo onde a primeira parte se comprometeu em pagar o PISO 30 dias após a publicação do acórdão. Isso não aconteceu. Amanhã dia 23, completará não 30 dias, mais exatos 90 dias e nada de PISO, e a proposta de ESTATUTO DO EDUCADOR  sequer foi enviada para a assembleia legislativa.

2 - Com a publicação do acórdão, o Governo enviou um projeto de lei para a assembleia, este, de início, só serviu para o Governo ganhar tempo, na medida em que para se fazer alterações mínimas nesse projeto de lei, levaram quase um mês, nas intermináveis reuniões entre sindicato e Governo.

3- Em seguida o Governo dissera que só aplicaria o PISO após a aprovação do PL 248/11. Aqui, vale destacar que a diretoria do SINPROESEMMA se superou, quando afirmou que além de termos que esperar a aprovação do PL, teríamos que aguardar um prazo de uma semana para que se fizesse a folha suplementar. Governadora coloque computadores nessas secretarias.

4 - Agora,  o secretário de educação afirma que só pagará o PISO depois que a Governadora sancionar a aprovação do PL 248/11.


Não temos dúvida, o Governo só age de forma desrespeitosa com a nossa categoria, porque tem em suas mãos a diretoria do SINPROESEMMA. Francamente, como a maior categoria de servidores públicos estaduais permite que essas pessoas continuem a frente da nossa entidade de classe?

Fora pelegos!

Comentários

Nadja disse…
..."a direção do sindicato vai convocar a categoria para se manifestar publicamente" se...

A direção só agora lembrou de que a categoria existe? Não teve a decência de nos convocar para plenárias e assembleias para discutir esse engodo. Professores, peguem vossos apitos e faixas e vamos fazer o que "o mestre mandar". Francamente!

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Baixaria na Assembleia de Prestação de Contas do Sinproesemma

Dia 24/06 (sábado), aconteceu no Praia Mar Hotel em São Luís a assembleia de prestação de contas do Sinproesemma.
O auditório em que aconteceu a assembleia comportava 120 assentos e cerca de 90% deles foram ocupados por educadores que estavam hospedados no hotel, pois vieram de alguns municípios localizados no continente. Poucos educadores eram da capital e isso se deu por que a diretoria do sindicato (SUB JUDICE) não divulgou a realização da assembleia nas escolas da grande ilha e nem convocou os trabalhadores nos seus  meios de comunicação.
O debate foi iniciado e ao longo dele, chamou bastante atenção o embate  entre os membros da diretoria, que se alfinetaram e também fizeram acusações graves. O presidente Raimundo Oliveira tentou cercear a fala da ex- presidente Benedita, mas foi reprovado por alguns professores.


Veja abaixo vídeos e os dois balancetes apresentados aos educadores. Neles, dentre outras coisas, chama atenção o volume de recursos que a diretoria do sindicato diz ter…