Pular para o conteúdo principal

Nova direção no STEEI (Sindicato dos Professores de Imperatriz)

Data de Publicação: 4 de dezembro de 2011 às 13:29
O Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino em Imperatriz (STEEI) mudou de comando na quinta-feira (dia 1º). A chapa 2, comandada pelos professores Willas Moraes e Maria Aldeny, venceu a disputa do conhecido Sindicato dos Professores - o mais organizado daquela cidade e que, em vários momentos, deu dor de cabeça aos prefeitos.

Apoiada pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a chapa 2 derrotou por 380 a 319 votos a chapa de Euramir Reis, ligado ao grupo que dirigia a entidade há duas décadas. Em terceiro e quarto lugares ficaram, respectivamente, as chapas dos professores Geová (228 votos) e Francisco (225).

O grupo vencedor conseguiu montar uma chapa composta por 30 professores ativos na atual luta sindical de Imperatriz.

Com essa mudança, o STEEI vai cerrar fileiras na CTB Maranhão com entidades como Sinproesemma, Sindicato dos Metalúrgicos, Professores Particulares de São Luís, Vigilantes, Funcionários da UFMA (Sintema) e mais dezenas de entidades de trabalhadores rurais.

Fonte: SITE do SINPROESEMMA

Considerações do MRP:
É uma pena que os professores de ITZ permitiram que isso acontecesse. Certamente, dentro em breve, perceberão a forma com que essa turma conduz os sindicatos que comandam. Querem um exemplo, vejam como as coisas se dão no SINPROESEMMA. Nossas lutas quando não abandonadas, são negociadas na calada da noite, totalmente a revelia dos educadores e sem contar que, nosso sindicato é dirigido de forma autoritária, não ha transparência  na aplicação dos recursos da nossa entidade sindical, dentre outras coisas não menos negativas.

O tempo é o senhor da razão, vcs verão!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Baixaria na Assembleia de Prestação de Contas do Sinproesemma

Dia 24/06 (sábado), aconteceu no Praia Mar Hotel em São Luís a assembleia de prestação de contas do Sinproesemma.
O auditório em que aconteceu a assembleia comportava 120 assentos e cerca de 90% deles foram ocupados por educadores que estavam hospedados no hotel, pois vieram de alguns municípios localizados no continente. Poucos educadores eram da capital e isso se deu por que a diretoria do sindicato (SUB JUDICE) não divulgou a realização da assembleia nas escolas da grande ilha e nem convocou os trabalhadores nos seus  meios de comunicação.
O debate foi iniciado e ao longo dele, chamou bastante atenção o embate  entre os membros da diretoria, que se alfinetaram e também fizeram acusações graves. O presidente Raimundo Oliveira tentou cercear a fala da ex- presidente Benedita, mas foi reprovado por alguns professores.


Veja abaixo vídeos e os dois balancetes apresentados aos educadores. Neles, dentre outras coisas, chama atenção o volume de recursos que a diretoria do sindicato diz ter…