Pular para o conteúdo principal

No Piauí o Judiciário age assim, já no Maranhão...


Mais uma conquista para a categoria da educação. Agora a PMT é obrigada a conceder o 1/3 do Horário Pedagógico reservado para as atividades extraclasses. E hoje, pela primeira vez o Prefeito de Teresina irá receber pessoalmente a comissão de negociação. Amanhã haverá Assembleia Geral, a partir das 9:00h no Teatro de Arena.

No dia 23 de fevereiro a Assessoria Jurídica do SINDSERM entrou com um Mandado de Segurança Coletivo solicitando que o Juiz determinasse que a Prefeitura Municipal de Teresina reservasse imediatamente no mínimo 1/3 do Horário Pedagógico para atividade extraclasse, como planejamento de aulas, corrigir trabalhos etc.
De acordo com a Assessoria Jurídica do SINDSERM, só se recorre a uma decisão como essa se tiver prejuízo irreparável para a parte prejudicada. E no caso é nada mais do que o cumprimento de uma Lei Federal, e a PMT não pode retroceder para prejudicar o professor.

Promotora Leida Diniz, entrou com uma Ação Civil Publica, nesta segunda, dia 17, determinando o Município de Teresina e o Estado cumprir de imediato da Lei 11.738/2008, que trata do Piso Salarial dos Professores. O texto da ação diz que o valor determinado pelo MEC, de R$1.451,00 seja pago integralmente no VENCIMENTO BÁSICO, e não como complementação, para TODOS os NÍVEIS e CLASSES. E que seja pago com RETROATIVO desde janeiro.

O texto estipula uma multa de R$1.000 por membro do magistério caso a PMT descumpra a decisão. Como também que a Prefeitura Municipal apresente em JUÍZO a PRESTAÇÃO DE CONTA de 2011 e 2012. A promotora Diniz diz ainda em ação diz que a GREVE tem toda a LEGITIMIDADE para acontecer.

A Assessoria Jurídica do SINDSERM informa que vai entrar com uma outra ação exigindo o pagamento de R$ 1.937,26, valor este reivindicado pela categoria e subsidiariamente o piso do MEC.

Hoje, pela primeira vez o Prefeito Elmano Férrer irá receber a comissão de negociação às 15:00h. E a categoria vai estar em vigília em frente a Sede da SEMEC para garantir a efetivação da reunião.

REUNIÃO NA PMT COM VIGÍLIA HOJE, A PARTIR DAS 15 HORAS.
ASSEMBLEIA GERAL AMANHÃ, APARTIR DAS 9:00H, NO TETRO DE ARENA  
Fonte: SINDSERM/TERESINA-PI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…