Pular para o conteúdo principal

Vergonha: Greve dos professores de São Luis terminou ha exatos 12 dias e várias escolas continuam fechadas.

Pais protestam contra atraso no início de aulas em São Luís

Unidade de Educação Básica Alberto Pinheiro sofre com comprometimento da estrutura física do prédio. Secretário de Educação afirma que local será adaptado para receber os alunos ainda nesta semana


Pais de alunos matriculados na Unidade de Educação Básica Alberto Pinheiro, no centro de São Luís, protestaram, na manhã desta segunda-feira (23), contra o atraso no reinício das aulas da unidade. A Secretaria Municipal de Educação chegou a alugar o prédio para abrigar a Unidade Educacional, mas as instalações estão sendo consideradas insalubres para receber os alunos.
Para chamar a atenção contra o atraso no início das aulas, os pais de alunos bloquearam o trânsito na rua 7 de setembro, em frente Secretaria de Educação do município, e cobraram resposta do secretário de Educação, Othon Bastos. Um grupo de mães chegou a ser recebido pelo secretário.
Enquanto as aulas na unidade Alberto Pinheiro não começam, os alunos deveriam estudar em um prédio alugado pelo município, mas as aulas que começariam nesta segunda (23) foram adiadas, pois, segundo os pais, o local ainda não está pronto. "Tem muita cadeira jogada, lixo espalhado, muitas goteiras. E não tem bebedouros, nem ventiladores. Como nossos filhos vão ficar em um colégio desse jeito?", indagou revoltada Maria de Brito, mãe de um dos alunos.
Mais de 1.500 estudantes estão matriculados na UEB Alberto Pinheiro. No início do ano, a escola foi interditada após um relatório técnico do CREA, o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Maranhão, que apontou o comprometimento da estrutura física do prédio, que está cheio de rachaduras. A reforma determinada para a unidade, que ainda não tem data de ínicio, tem prazo de 90 dias para ser concluída.
O secretário de Educação Othon Bastos visitou as instalações do prédio alugado, onde os alunos deveriam estar assintido aula, e prometeu aos pais que o local será adaptado para receber os alunos ainda nesta semana.
"À proporção que as escolas forem entregues, após a reforma, todo o material de ensino, tanto didático, quanto pedagógico, como também as carteiras e as bibliotecas, serão entregues. O mesmo acontecerá com o kit escolar e o programa do leite. Temos aqui, hoje, todo o material necessário. Bebedouro, carteiras novas, ar-condicionados, ventiladores. Tudo está aqui, esperando a finalização da reforma na quarta-feira (25), quando estes equipamentos serão colocados à disposição dos alunos. O processo está ocorrendo da mesma forma em todas as outras dependências da rede municipal de Educação", declarou Othon Bastos.

Fonte: G1/MARANHÃO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…