Pular para o conteúdo principal

Aos Professores da Rede Municipal de Ensino de São Luís

 Companheir@s, historicamente o SINDEDUCAÇÃO é dirigido por um grupo de pessoas que sempre o atrelou ao poder público municipal. E o resultado disso, são os muitos prejuízos que têm vitimado os profissionais do magistério e milhares de educandos que só contam com a escola pública para ter acesso à educação formal. Isto ocorre porque o SINDEDUCAÇÃO nunca possuiu, efetivamente, uma real política em defesa da educação pública municipal, tampouco dos direitos dos educadores.  Como consequência e maior exemplo temos o notório caos educacional instalado na rede de ensino. Há escolas que em pleno meio do ano, sequer funcionaram um único dia e os alunos vivenciam, assim, um verdadeiro estado de abandono e negação dos seus direitos. Aliás, prática recorrente não apenas nesta como nas administrações municipais anteriores que nunca priorizaram a educação e com a inoperância do sindicato, somam-se prejuízos a alunos e professores (tanto em início de carreira quanto em processo de aposentadoria).
Para tentarmos reverter esse quadro, o primeiro passo que precisa ser dado consiste em nossa participação efetiva no processo eleitoral que se aproxima:
1. VOTO DOS PROFESSORES SINDICALIZADOS;
2. MOBILIZAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DO PROCESSO POR PARTE DOS NÃO SINDICALIZADOS e SINDICALIZADOS.
Só assim é que poderemos dizer NÃO ao CONTINUÍSMO e retomarmos das mãos dos que não nos representam (Atual diretoria + Políticos aliados) o comando da nossa ESTRUTURA SINDICAL, para que a partir daí possamos coletivamente (Base + Diretoria) delinearmos verdadeiras políticas sindicais de luta em defesa da escola pública municipal, bem como, pela ampliação e manutenção dos direitos dos profissionais do magistério local.
Tal estrutura torna-se necessária porque a diretoria do SINDEDUCAÇÃO insiste em realizar a eleição em um único dia, num só local (sindicato): uma tática clara que objetiva excluir do processo eleitoral o maior número de professores possível, assim como ocorreu na eleição de 2008, na qual mais de 40% dos professores sindicalizados deixaram de votar, por conta dessa manobra.
De forma proporcional ao nosso crescimento habitacional, houve o necessário aumento da rede municipal de ensino com a nefasta política de ampliação do número de anexos escolares e, consequentemente, provavelmente ocorreu um aumento considerável da nossa base sindical.  Em 2008 éramos quase 4 mil sindicalizados, hoje certamente somos muito mais.
Como fazer todo esse contingente participar do PROCESSO ELEITORAL sem descentralizá-lo?  O que teme a atual diretoria? Ainda se pode esperar algo daqueles que integram esse grupo, na medida em que, sequer garantem ao professor o direito de escolher seus representantes sindicais através do voto?

Abaixo artigos importantes sobre o processo eleitoral de acordo com o estatuto do SINDEDUCAÇÃO.

1 - Quem pode votar nesse processo?

Art. 45. É eleitor todo associado que:

a)  Na data da eleição tiver ao menos 6 meses de inscrição no quadro social;

b)  Estiver no gozo dos direitos sociais conferidos neste Estatuto.

2 - Quem pode integrar uma chapa (ser candidato)?

Art. 46. Poderá ser candidato o associado que na data da realização da eleição, tiver mais de um ano de inscrição no quadro social do sindicato e pelo menos 3 anos na profissão no sistema de educação, estar em dia com as mensalidades sindicais e contar com a idade mínima de 18 anos.

3 – As chapas serão registradas na sede do sindicato até o dia 15 de agosto de 2012.

4 – A eleição está prevista para acontecer dia 14 de setembro de 2012.

Antonísio Furtado, professor das redes municipal  e estadual de ensino.
Fonte:http://www.facebook.com/#!/antonisio.lopesfurtado






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…