Pular para o conteúdo principal

CHAPA 1 Sai na frente, derrota a Comissão Eleitoral e consegue aumentar o número de urnas e ampliar o horário de votação até as 20 h, pois não teme o voto dos professores. Entenda por quê?


Dia 3/8 requeremos a inscrição da chapa 1 no SINDEDUCAÇÃO, porém, a Comissão Eleitoral só homologaria a solicitação da nossa chapa 11 dia depois, ou seja, no último dia do prazo previsto p/ a inscrição das chapas (14/8 sexta feira).

Dia 20/8 requeremos junto à Comissão Eleitoral o aumento do número de urnas e a descentralização das mesmas, na tentativa de disponibilizar outros locais de votação, espalhados pela cidade, além das urnas dispostas no sindicato. Outra vez a Comissão Eleitoral age de forma suspeita, na medida em que, resolve indeferir a nossa solicitação e só nos comunica dia 27/8.

Não satisfeitos com a resposta da Comissão Eleitoral, dia 29/8 fomos ao MPT e requeremos deste uma intermediação, na tentativa de garantir a descentralização da eleição. Depois de tomar conhecimento da iniciativa da Chapa 1, a Comissão Eleitoral rapidamente e pela primeira vez convoca uma reunião com todos os representantes das Chapas, que foi realizada no sábado (1/9). Na ocasião voltamos a defender a ampliação do número de urnas, de 4 (previstas inicialmente) p/ 12 (sendo utilizadas 5 no sindicato e 7 nos polos com o maior número de escolas) e a ampliação do horário de votação para as 20h. Após um caloroso debate os representantes da chapa 2 resolveram concordar com o pleito defendido pela Chapa 1, já os representantes da Chapa 3 se abstiveram sobre a questão da descentralização, do aumento de urnas e da ampliação do horário de votação. A chapa 1 solicitou ainda que a lista dos professores ativos e inativos aptos a votar, fosse divulgada no site do SINDEDUCAÇÃO, para que os professores verificassem com antecedência sua situação nessa eleição. Encerrada a reunião foi lavrada a ata.

Dia 3/9 (2ª feira) a Comissão Eleitoral convoca nova reunião, desta vez somente participaram seus integrantes, além dos 5 indicados pela diretoria do SINDEDUCAÇÃO, participou também a Prof. Ana Paula, representante da chapa 1. As chapas 2 e 3 não indicaram representantes p/ compor a referida comissão. Nessa reunião foi comunicado que a Comissão Eleitoral voltou atrás e decidiu aumentar o número de urnas para 7 e ampliar o horário de votação até as 20h, mais manteve o indeferimento do processo de descentralização.

Dia 4/9 (3ª feira) o Procurador Maurel Mamede Selares mandou intimar a Comissão Eleitoral e os representantes das três chapas 1, 2 e 3 inscritas no pleito para que todos comparecessem a uma audiência no MPT dia 6/9 (5ª feira) que discutiria a descentralização da eleição. Somente compareceram a essa audiência os integrantes da Comissão Eleitoral e o candidato a presidente pela Chapa 1, Professor Antonísio Furtado. A ata dessa audiência você confere na íntegra nas imagens abaixo.



Comentários

O SINDEDUCAÇÃO foi transformado em balcão de negócios pelo grupo que está a sua frente, desde a sua fundação. Professor/a, na eleição que acontece dia 14/09 (sexta feira) você pode libertar o nosso sindicato dessas sanguessugas do suor dos professores, que tanto tem prejudicado a rede municipal de ensino de São Luís, pois eles sempre se posicionaram ao lado do prefeito e dos vereadores aliados. A luta em defesa da educação e de seus trabalhadores passa por uma única opção, vote para mudar, vote CHAPA 1!

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…