Pular para o conteúdo principal

Gestão UNIDADE PARA MUDAR (SINDEDUCAÇÃO), mesmo afastada, sai em defesa da escola publica municipal e dos educadores.


EDUCAÇÃO PUBLICA MUNICIPAL DE SÃO LUIS: ENTRE O DESCASO DA PREFEITURA E A OMISSÃO DA DIREÇÃO BIÔNICA DO SINDEDUCAÇÃO 

                 A situação de insegurança no interior das escolas é apenas a ponta do iceberg da destruição da escola pública do município de São Luís que não começou na gestão castelista, mas que nos últimos quatro anos chegou ao extremo. Isso decorre de uma combinação de fatores que possibilitaram o prefeito João Castelo e toda a sua equipe ficar muito a vontade para chegar a esse ponto de saturação.  Se o prefeito João Castelo vira as costas para o CAOS, e a diretoria do SINDEDUCAÇÃO, por razões obvias, fecha os olhos diante o clamor da comunidade escolar. A troca de gentileza e favores entre a SEMED e os golpistas que se encontram na direção do SINDEDUCAÇÃO resume-se a isso.

           Nem mesmo a repercussão nacional dos ataques em serie a dezenas de escolas conseguiu sensibilizar o grupo que se apoderou do nosso sindicato. No site do SINDEDUCAÇÃO continua os ataques a Direção Eleita, Unidade Para Mudar, ao PSTU, aos professores de luta, os elogios à traição da CNTE que está abrindo mão da Lei do Piso, mas postaram nenhuma nota de solidariedade aos professores e alunos que se encontram em meio ao fogo cruzado dos criminosos que arrombam, subtraem e ateiam fogo nas escolas, e os criminosos profissionais da prefeitura que subtraem os salários dos vigilantes e os recursos do FUNDEB.

           Está claro por que eram técnico-administrativos da SEMED e diretores de escolas a maioria dos 300 que votaram na farsa da eleição do dia 28 de novembro. A SEMED que se mobilizou para tentar legitimar a farsa desse golpe, não envia uma viva alma para escolas no sentido de tentar encontrar saída para o CAOS. A ausência da SEMED e do SINDEDUCAÇÃO se explica pela essa aliança espúria estabelecida entre ambos contra a categoria e a escola pública do município de São Luís. Esse é preço que se paga pela usurpação de uma direção sindical.

             E agora professora Elizabeth, presidenta biônica, vai fazer o que? Denunciar quem apoiou o golpe que a conduziu a direção de um sindicato que não tem o apoio de sua base social? Para um bom entendedor o silêncio e a omissão dizem muita coisa! Nem sobre a escola da presidenta biônica, a UEB Nascimento Moraes, há qualquer referência no site do SINDEDUCAÇÃO, imagine mobilização com a categoria. É obvio que depois da publicação desta nota eles irão tentar fazer alguma média com a categoria, como de costume. Aliás, é tradição entre os golpistas agir sempre sobre pressão da base, nunca em favor da base.

          Na direção oposta a supracitada, a Direção Eleita, Unidade para Mudar está convocando uma reunião emergencial com todos os educadores em pais de alunos da rede pública municipal de São Luís para que possamos, coletivamente, tomar as medidas cabíveis para a situação colocada. Não se trata apenas da preservação da estrutura física e dos bens existentes no interior das escolas, mas de vidas. Essa é a condição sine qua non que nos move, ou seja, o sentimento humano, a solidariedade de classe e a defesa da escola pública. A referida reunião acontecerá no dia 03 de Janeiro de 2013 (quinta-feira) na H&A Eventos (Unidade 205 Rua 205 NE - nº 15 - Viva da Cidade Operária). TODOS OS PROFESSORES DE LUTA DEVEM SE FAZER PRESENTE.

          É necessário também chamar a atenção dos desembargadores do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) que tem sob tutela duas importantes decisões a ser tomadas: 1- Intervir junto à prefeitura exigindo imediatamente a regularização da segurança do trabalho no interior escolar para todos os funcionários da SEMED e que garanta também o aprendizado seguro para os alunos e 2- Decidir se vão manter na direção do SINDEDUCAÇÃO um grupo que não tem legitimidade perante a categoria ou se vão reconduzir à direção desta entidade o grupo que foi legitimamente escolhido pela categoria?

QUEM TEM ESPERANÇA NA LUTA, NÃO ESPERA ACONTECER! 

DIREÇÃO ELEITA, UNIDADE PARA MUDAR!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …