quarta-feira, 12 de março de 2014

Prefeito deixa a desejar na condução da educação de são luis.

Em encontro recente com os gestores da rede municipal de ensino de São Luis, vejam só o recadinho requentado do secretário Geraldo Castro, para os professores:

elencou as iniciativas que beneficiam diretamente os docentes, como o pagamento das progressões verticais de 2010, 2011 e 2012, compromisso firmado e realizado pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, além da garantia do 1/3 de hora atividade e do reajuste de 9,5% nos salários dos professores, um dos maiores percentuais em toda a história da educação municipal.

Fonte:http://www.saoluis.ma.gov.br/frmNoticiaDetalhe.aspx?id_noticia=8288

Nós professores não devemos esquecer que a gestão do prefeito Edivaldo Holanda descumpre a lei do PISO, ainda não garantiu a implementação do 1/3 de hora atividade para todos os professores, a maioria das escolas sofre com problemas pontuais, tais como: falta de água, livros, materiais de expediente básicos, segurança, reformas inacabadas,etc. 
Destacamos ainda outros dois grandes problemas: O  execessivo numero de anexos escolares que mais parecem depósitos de crianças e a não regulamentação e realização da eleição direta para diretor escolar.   

Em vez de atacar de frente todos esses problemas a prefeitura prefere utilizar engôdos, tais como os que vemos na propaganda televisiva que fala de leite, fardamento e transporte escolar, como se toda a questão educacional se resumisse a isso. A julgar pelo andar da carruagem, dificilmente os problemas da educação municipal de São luis serão resolvidos nessa administração (PTC/PCdoB), pois tudo indica que a mesma sequer tem uma política educacional definida e dificilmente terá a humildade em reconhecer isso. Somente a partir desse reconhecimento é que esta poderá buscar em parceria com os vários atores da área educacional a construção coletiva de uma política  pública municipal de educação que objetivamente persiga a superação dos muitos problemas que afligem educadores e educandos da rede de ensino publico da capital.

Nenhum comentário: