Pular para o conteúdo principal

Bomba, bomba, bomba! Diretoria do SNPROESEMMA (PCdoB) ferra com os professores para se dar bem.

Na época da aprovação do novo ESTATUTO DO MAGISTÉRIO o MRP denunciou exaustivamente o GOLPE QUE ESTAVA POR TRÁS DESSA MANOBRA. Infelizmente a categoria não nos ouviu. Agora eis que a verdade surge.


Apresentamos abaixo as expressivas perdas impostas aos PROFESSORES em razão da formulação de acordos, já homologados pelos juízes, entre o Sinproessema e o Estado do Maranhão, nos autos da ação coletiva 14440/2000, Terceira Vara da Fazenda Pública da Comarca de São Luis, e no mandado de segurança 20700/2000, Tribunal de Justiça do Maranhão.


A diretoria do SNPROESEMMA (PCdoB), em troca da aprovação do novo Estatuto do Magistério, DESISTIU da OBRIGAÇÃO DE FAZER em ambos processos, o que significa deixar de implementar, nos vencimentos dos educadores, percentual correspondente à lesão provocada pela COMPRESSÃO da tabela de vencimentos ao longo do tempo e pela redução do índice apurado pelo Governo José Reinaldo.







No final do ano passado, a CONTADORIA DO FÓRUM apurou que a diferença salarial no processo 14440/2000 foi de R$ 786,18, para a referência 19 (nível mais comum dos educadores), o que representa um percentual de 81,91%, que seria incorporado nos vencimentos dos educadores (os percentuais de todos os níveis estão na tabela anexa).



 


 
Já no mandado de segurança 20700/2004, a execução do julgado apontou como percentual para a referência 19 o índice de 30,35%, obtendo a concordância do Estado do Maranhão em relação ao valor apurado, como pode ser constatado nos processos 28742013 e 156172013, do Tribunal de Justiça do Maranhão, ambos com a determinação de expedição de precatório.

Desse modo, a formulação dos acordos impôs uma perda de 112,26%, ou seja, o educador ocupando cargo com a referência 19 deveria estar ganhando, como VENCIMENTO, a quantia de R$ 2.036,18, todavia aufere hoje apenas R$ 959,81.

Além desse presente de grego, a assessoria do sindicato cobrou para ajuizar as ações e, agora, quer cobrar mais uma vez para fazer o que é sua obrigação - sendo pago mensalmente para tanto - criando um tal de CLIENTE PREMIUM para engabelar, mais uma vez, os educadores (veja detalhes em www.henriqueteixeira.adv.br).

Já, já publicaremos a tabela com as perdas por referencias. Aguardem!!!




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora desmascara a propaganda do "governo da Mudança"

Neste vídeo a VERDADE sobre a realidade salarial dos educadores da rede estadual é revelada. Somente na propaganda do governo existe valorização dos educadores. Assista ao vídeo integralmente e conheça a triste situação dos professores.

Flávio Dino tem reajuste salarial e servidores estaduais, NÃO.

Onde está a Mudança?

O governo do Maranhão usa da desculpa de crise financeira e vem, há dois anos, arrochando os salários de milhares de servidores estaduais e negando seus direitos. Os professores ficaram sem ter o reajuste dos seus VENCIMENTOS em 2016 e 2017. Os professores em regime de C.E.T (CONDIÇÃO "ESPECIAL" DE TRABALHO) recebem essa gratificação CONGELADA desde fevereiro de 2015. Os funcionários administrativos, operacionais e outros, da SEDUC e das outras secretarias estão lutando para garantir, este ano, o reajuste de 6,3%, pois em 2016 não tiveram reajuste algum.



Na contramão do discurso de crise financeira e agindo  na surdina, a assembleia legislativa concedeu no último mês de fevereiro reajuste salarial, SEM PARCELAMENTO, para o governador, o vice-governador e todo o secretariado.  
Em 2017 seus novos subsídios são:
Governador: R$ 15.915,40         (16,9 SM);
Vice-governador: R$ 14.198,18 (15,1 SM);
Secretários: R $ 11.154,24          (11,9 SM).
Observação: SM = SALÁ…

O governador do Maranhão usa MP para descumprir lei estadual.

Não satisfeito em IGNORAR O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO, A LEI DO PISO e deixar os educadores da REDE ESTADUAL sem REAJUSTE SALARIAL em 2016, o governador Flávio Dino resolveu inovar e, em 2017, lançou mão de uma Medida Provisória para burlar o estatuto dos profissionais do magistério.
Educador(a), entre em contato com o/a deputado/a da sua região, peça seu apoio e diga a ele/ela que somos contra a MP 230,  da forma que foi proposta. Queremos que o governador CUMPRA o Estatuto do Magistério. Quando definirem o dia dessa votação, vamos mobilizar nossa categoria para LOTAR a Assembleia Legislativa. 
Educadores de todo o estado precisam comparecer e lutar contra a aprovação dessa MP.
NO DIA DA VOTAÇÃO DA MP 230/17 QUE VIOLA O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO  (Lei nº 9.860/2013), OS DEPUTADOS VOTARÃO aFAVOR (F)ou CONTRA (C)  A Educação e os EDUCADORES???
A MP 230/17 SERÁ VOTADA AMANHÃ NA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO         E JUSTIÇA - CCJ. Seus membros titulares são:
Presidente; Prof Marco Aurélio
Relator; Dr L…