Pular para o conteúdo principal

Diretoria do SINPROESEMMA critica ato do M.R.P.

Estatuto do Magistério: qual o real objetivo da oposição ao sindicato?Por: SINPROESEMMA
Data de Publicação: 20 de novembro de 2008

Durante a inauguração da nova sede da Assembléia Legislativa do Maranhão, ocorrida no dia 18 de novembro em São Luís, um grupo de professores, que faz oposição à diretoria do Sinproesemma, realizou um protesto, segundo eles, “contra alterações” que estão sendo feitas pelo Governo no Estatuto do Magistério. Eles também acusaram o Sindicato de não tomar uma atitude contrária a estas alterações.
Desde que recebeu do Governo a proposta de alteração do Estatuto, o Sinproesemma tem agido para organizar a discussão da mesma pela categoria. Realiza seminários e debate o assunto com representantes de escolas. Estes representantes levam a discussão para as escolas para que cada professor tenha a oportunidade de participar do processo de construção do novo Estatuto.
O Sinproesemma também disponibilizou na página do Sindicato um local onde o professor pode enviar sugestões para o Estatuto. Lá ele tem acesso à proposta formulada pelo Governo e às propostas de alteração já feitas pelo Sindicato. A diretoria também realiza plantões de discussões na sede do Sindicato toda quarta-feira, a partir das 14h.
“Não entendemos qual foi o objetivo dessa atividade realizada pela oposição nesta semana. Não nos ficou claro e pareceu sem sentido, pois quem se preocupa com a construção do nosso Estatuto está participando das atividades que nós temos realizado. Não estamos de braços cruzados, como eles fizeram parecer”, comentou Odair José, Presidente do Sinproesemma. A diretoria do Sindicato acredita que outros interesses determinaram a realização do ato.
O processo de elaboração do novo Estatuto continuará acontecendo desta maneira até que se chegue a um consenso e o projeto seja levado à Assembléia Legislativa. “E se acaso não chegarmos a esse consenso a mobilização acontecerá para viabilizar as propostas da categoria”, explicou Odair.
Com o intuito de arregimentar adeptos às suas aventuras, a oposição passa à categoria a informação de que o Estatuto do Governo já estaria na Assembléia Legislativa e que os Deputados teriam até o final do ano para aprová-la. Na realidade a proposta nunca chegou à Assembléia e o Governo já fala em trocar a que foi apresentada ao Sindicato, ou seja, propor outra. Por outro lado, a Lei do piso estabelece que estados e municípios têm até o final de 2009 para reformularem os seus estatutos e planos de carreiras.Para Odair José ainda há um caminho longo pela frente. “Pelo que vemos a discussão sobre a reformulação do Estatuto está só começando. Tudo indica que não será fácil, pois teremos pela frente um Governo que já mostrou em várias ocasiões que quer tirar direitos da categoria e esta oposição ao Sindicato que faz tudo para aparecer e atingir seus objetivos, nem que tenha que expor a categoria ao ridículo”.

Comentários

Essa nota é mesmo interessante.De que lado eles estão?
Primeiro, eles receberam a proposta do novo estatuto,dia 27 de maio, e só agora, quase 6 meses depois, é que eles afirmam que estão discutindo com a categoria essa proposta aqui na capital.
Outro ponto, que nos chamou atenção e que é grave,por isso fizemos o destaque, é o fato deles afirmarem que poderemos ficar por mais um ano sem um instrumento de reposição salarial,na medida em que o estatuto em vigor, está sem os artigos 54,55,56 e 57 que versavam sobre essa questão, foram revogados ,e desde então, estamos a mercê da boa vontade do Governo.Está explícito aí,mais uma manobra que visa a concessão de mais tempo p/ que o governo regulamente essa questão, alegando um artigo da lei do piso.A lei é clara,quando diz até dez de 2009, isso não impossibilita em nada o governo, de resolver esse imbróglio o quanto antes.O professorado está insatisfeito e cansado de esperar.
Quanto à questão, do governo já pensar em outra proposta de estatuto, isso se deve ao fato da pressão exercida pela movimentação dos professores nos últimos meses.
Por último perguntamos,a diretoria do sinproesemma tem conhecimento da importância do PCCS? Por que nunca o exigiram, na medida em que,desde 1997 a LDB, no artigo 67, o defini como um dos instrumentos de valorização profissional da categoria?
alfurtado disse…
Vejam o que afirma a lei do piso no seu artigo 6º:
A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios deverão elaborar ou adequar seus Planos de Carreira e Remuneração do Magistério até 31 de dezembro de 2009, tendo em vista o cumprimento do piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica, conforme disposto no parágrafo único do art. 206 da Constituição Federal.

A redação é clara, em nenhum momento, ela versa sobre estatuto do magistério.Portanto, como pode o Presidente do SINPROESEMMA, AFIRMAR QUE O GOVERNO TEM ATÉ O FINAL DE 2009,PARA REESTRUTURAR NOSSO ESTATUTO?

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …