Pular para o conteúdo principal

Suspensa segunda etapa da formação continuada - SEDUC/MA

 Uma avaliação criteriosa começou a ser feita pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) para identificar problemas apontados no que concerne a instalações físicas, material didático, hospedagem e alimentação durante o curso de capacitação de professores da rede estadual de ensino. Com essa medida, a segunda etapa da Formação Continuada em Rede, que seria realizada a partir desta segunda-feira (25), foi adiada.




A Seduc decidiu que devem ser tomadas medidas urgentes junto à empresa vencedora da licitação para operacionalizar o evento, daí a decisão de suspender a capacitação, temporariamente.



A medida que suspende a capacitação visa equacionar os problemas e garantir aos profissionais da educação do Maranhão, o direito de discutir o ensino num espaço democrático e, principalmente, de qualidade, sem interferências de interesses políticos. Com essa decisão, a Seduc evita que venham a ser prejudicados o aluno, o professor e a comunidade escolar.



As ações operacionais do evento serão apuradas e as medidas vão ser tomadas no sentido de corrigir os transtornos causados ao bom andamento do treinamento, informou o secretário de educação, Anselmo Raposo.



A primeira etapa capacitou 16 mil professores e alcançou resultados positivos, como testemunharam os próprios participantes.



“A formação continuada é um momento ímpar para os profissionais da educação no Maranhão. É uma oportunidade de discutir, refletir as práticas pedagógicas e as metodologias aplicadas, com o intuito principal de buscarmos uma melhor qualificação profissional e posteriormente trabalharmos em prol de um ensino de qualidade para os nossos alunos”, ressaltou o professor de matemática, Antonio de Marco, do Centro de Ensino Cruzeiro de Santa Bárbara, anexo do C.E. São Cristovão.



A capacitação de professores está inserida na política de valorização dos profissionais da educação do Governo do Estado e faz parte do plano de formação do Ministério da Educação (MEC), visando fortalecer as ações pedagógicas na sala de aula das escolas públicas.





Data: 22/10/2010

Fonte: Ascom/Seduc

Comentários

Essa equipe da SEDUC, nesta nota, fala mesmo de qual formação? Não temos dúvidas, a reclamação e a reprovação, em São Luis foi geral e pelo visto isso aconteceu nos outros municípios.
Nadja disse…
Os problemas ocorridos durante a Formação não foram apenas estruturais. Houve enorme desorganização e falta de planejamento das atividades que deveriam ser desenvolvidas. Para mim, foi uma perda de tempo. Por que a SEDUC não se organizou melhor? Se é que tinha interesse em promover uma forma séria e produtiva.

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …