Pular para o conteúdo principal

GOVERNO ENVIA SEGUNDA PSEUDOPROPOSTA E SINDICATO CONVOCA ASSEMBLEIA

Em decorrência da resistência e garra dos professores que continuam em greve e das reuniões ocorridas com o Presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB e com o Promotor de Educação, o qual declarou que na segunda ou terça-feira( dia 16) estará realizando reunião com a Secretaria de Educação e o Comando de Greve.Não havendo acordo, impetrará ação contra o governo do estado visando garantir a retomada das aulas; além disso vale destacar as manifestações estudantis em todo o Maranhão que estão reforçando o movimento grevista, o governo acuado remeteu à direção do sindicato mais uma pseudo-proposta, veja:


 Contudo, a "proposta" é no mínimo hilária, pois é a mesma versão já rejeitada pela categoria na Assembleia anterior, as únicas modificações consistem na retirada da ação contra o sindicato e o retorno dos educadores remanejados. Quanto a questão da reposição dos valores descontados por faltas, o governo ou quer que façamos mágica ou imagina que somos profissionais que aceitarão enrolar os alunos, pois embora estejamos parados há 75 dias, continua insistindo no encerramento do ano letivo em 23/12/2011, e ainda destaca que caso descumpra o calendário mensal de reposição, o professor terá os valores descontados no mês subsequente, ou seja, quem não quiser ter os descontos não poderá mais nem comer ou dormir, e mesmo assim não conseguirá cumprir a determinação da SEDUC.


Então, onde está a reposição emergencial decorrente do repasse do FUNDEB, que o governo recebe desde janeiro e debatida na mesa de negociação como pauta mínima? Porque  não entramos em greve por medidas punitivas e sim por valorização profissional e educação com qualidade. 


Infelizmente este não parece ser o entendimento da direção do sindicato, pois a despeito de toda indignação dos educadores no acampamento, quando tomaram conhecimento do documento, esta convoca a categoria para uma Assembleia no domingo (dia 15) às 09 h no Convento das Mercês, isto mesmo, Assembleia no domingo, e precisamos contar com o apoio de todos para evitar um golpe que significará a perda da oportunidade de vencermos esta luta e conseguirmos a participação na implantação da  lei do Piso no estado. Vejam só que o governo nem fala mais na mesa permanente de negociação e da comissão para discutir os 21 itens de reinvindicações, pelos quais se deflagrou o movimento paredista, e se encerrarmos a greve desta forma, o governo poderá remeter a Assembleia Legislativa um projeto de plano de carreira que não atenda aos interesses dos professores, bem como promova uma mudança radical na nossa política salarial, repetindo olha a GAM!!!.


Portanto, professores compareçamos todos à Assembléia e façamos valer nossos direitos e vozes. E para debatermos com mais profundidade o M.R.P. convida todos para uma plenária no acampamento a realizar-se-á no sãbado (dia 14) às 17h. Compareça, sua presença é fundamental!!!

Comentários

Marcelino disse…
Seria interessante se domingo contássemos com a participação de alguma liderança de outro sindicato para fiscalizar essa "assebleia" convocada pela direçaõ do sinproessemma.
eliane disse…
Absurdamente a postura do sindicato durante uma greve tende a se repetir. A diretoria parece marido malandro que gosta de bater, mas a categoria não se enquadra no papel de "mulher de bandido". Quero acionar judicialmente a direção do sindicato, se ela se propuser a nos transformar mais uma vez em massa de manobra, mas há outra opção para ela: "Pede para sair!". Rogo que o Senhor tenha misericórdia da direção do sindicato, pq eu não terei.

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Baixaria na Assembleia de Prestação de Contas do Sinproesemma

Dia 24/06 (sábado), aconteceu no Praia Mar Hotel em São Luís a assembleia de prestação de contas do Sinproesemma.
O auditório em que aconteceu a assembleia comportava 120 assentos e cerca de 90% deles foram ocupados por educadores que estavam hospedados no hotel, pois vieram de alguns municípios localizados no continente. Poucos educadores eram da capital e isso se deu por que a diretoria do sindicato (SUB JUDICE) não divulgou a realização da assembleia nas escolas da grande ilha e nem convocou os trabalhadores nos seus  meios de comunicação.
O debate foi iniciado e ao longo dele, chamou bastante atenção o embate  entre os membros da diretoria, que se alfinetaram e também fizeram acusações graves. O presidente Raimundo Oliveira tentou cercear a fala da ex- presidente Benedita, mas foi reprovado por alguns professores.


Veja abaixo vídeos e os dois balancetes apresentados aos educadores. Neles, dentre outras coisas, chama atenção o volume de recursos que a diretoria do sindicato diz ter…