Pular para o conteúdo principal

QUEM É QUEM NAS ELEIÇÕES DO SINDEDUCAÇÃO?


QUEM É QUEM NAS ELEIÇÕES DO SINDEDUCAÇÃO?

                  Não sabemos ao certo se foi por desentendimento ou por “malandragem” que a atual direção do SINDEDUCAÇÃO se dividiu em duas chapas para concorrer ao pleito do dia 14 de setembro contra a chapa de Oposição, a Chapa 1 Unidade Para Mudar. No entanto, o que mais impressiona é saber como essa DIREÇÃO subestima a inteligência politica e a capacidade de discernimento da categoria.

CHAPA 2: CASTELISTAS ASSUMIDOS

             A Chapa 2 tem como candidato a presidente nada mais nada menos que o atual vice-presidente César Augusto. Isso mesmo professores (as), aquele senhor que se declarava publicamente contra a nossa última greve. Por isso mesmo, suas aparições nas mobilizações eram tão raras quanto a da maioria dos dirigentes do SINDEDUCAÇÃO. Seu material de campanha trás as cores do PSDB (azul e amarelo) e o lema “Agora é Cesar!”. Seria mera coincidência com o “Agora Vai!” que João Castelo utilizou durante a campanha de 2008? Tire você mesmo a conclusão!

CHAPA 3: ATUAL DIREÇÃO TRAVESTIDA DE INOVAÇÃO

          Já na Chapa 3 a ousadia é bem maior. A candidata a presidente é Lindalva Lopes, atual secretária de assuntos educacionais do SINDEDUCAÇÃO, que na greve de 2010 praticou um “atentado” politico contra os mais de 6 mil membros da categoria. Enquanto todos nós enfrentávamos a dureza daquela greve, Lindava Lopes seria a única professora do município de São Luís a ter sua progressão horizontal concedida por João Castelo, num decreto exclusivo (nº 40.126 de 12 de junho de 2010). LINDALVA BATISTA presidente do SINDEDUCAÇÃO a defende dizendo que a mesma teve sua progressão concedida “solitariamente” por que a mesma tinha sido excluída da listagem oriunda do decreto anterior que contemplou centenas de professores, em função de perseguição política praticada pela secretária de educação Suely Tonial. Se é verdade o que afirma a atual presidente do SINDEDUCAÇÃO Lindalva Batista, como explicar então a nomeação de Lindalva Lopes como presidente da COAPEM, logo após o término da greve de 2010? Seria essa a razão pela qual Lindalva Lopes foi, na época, árdua defensora do fim HISTÓRICO e TRÁGICO daquela greve? Nesse sentido, como justificar também a nomeação do secretário de mobilização sindical Flávio Mendes como assessor técnico da SEMED, na mesma época?

Por outro lado, o desgaste da atual direção é tão grande que tanto Lindalva Lopes com César Augusto não dizem em seus materiais de campanha que são da atual direção. Enquanto Lindalva Lopes utiliza como lema “Renovar para avançar na luta“ Cesar Augusto fala de “honestidade e Transparência”, ambos querendo demonstrar a categoria que nada tem a ver com a atual direção, quando na verdade são parte dela.

A CHAPA 3, encabeçada por Lindalva Lopes apresenta em seu material de campanha a candidata a 1º tesoureiro como PRISCILA MEIRELES. Essa manobrar objetiva enganar os professores, na medida em que, a referida professora é simplesmente PRISCILA BATISTA DE OLIVEIRA MEIRELES, a filha de Lindalva Batista, atual presidenta do SINDEDUCAÇÃO. Isso demonstra que a família batista pretende continuar usando e abusando dos recursos do sindicato, por mais 4 anos. Já o candidato a vice-presidente dessa mesma Chapa, RAIMUNDO OLIVEIRA, é atual diretor do SINPROESEMMA, direção sindical que faz com os professores do estado o mesmo que a atual direção do SINDEDUCAÇÃO faz com os professores do município.

CHAPA 1: A ÚNICA ALTERNATIVA EM RELAÇÃO A ATUAL DIREÇÃO E A PREFEITURA

           Está claro que a Chapa 2 e Chapa 3 SÃO MAIS DO MESMO. A única Chapa que representa a verdadeiro sentimento de mudança da categoria é a Chapa 1 “Unidade Para Mudar” que tem como candidato a presidente o professor ANTONÍSIO FURTADO e no seu corpo de membros lutadores respeitados por toda a categoria. Esta nos conhece da luta, do enfrentamento sem trégua aos governos sempre no intuito de garantir conquistas e manter os direitos dos educadores. Em nome da nossa categoria, soubemos fazer unidade de ação com a direção do sindicato para tocar a luta, mas sempre que esta tentou trair a luta nossa postura foi a de denunciar e não compactuar, isso sim é RESPONSABILIDADE.

              Diante da inoperância de uma direção que não informa a categoria, resolvemos confeccionar panfletos, boletim, jornais e organizar blogs para que nossa categoria se mantivesse informada. A CHAPA 1 não brota dos gabinetes dos governos, de vereadores e nem da articulação de alguns diretores de escolas alinhados a Lindalva Batista. A CHAPA 1, UNIDADE PARA MUDAR brota da luta daqueles que responsável e coerentemente sempre  estiveram ao lado da categoria. Educador você sabe disso e é chagada a hora da mudança, vamos dar um basta no continuísmo e no peleguismo lindalviano, vote para mudar,  vote CHAPA 1!
 

Comentários

É lamentável que membros do Movimento de Resistência dos Profissionais da Educação – MRPE divulguem notas sobre as chapas concorrentes ao pleito do dia 14 próximo para a nova diretoria do Sindeducação, ou seja, mais precisamente sobre a Chapa 2 Transparência e Honestidade. A título de esclarecimento afirmo o seguinte: as cores utilizadas em nosso material de campanha contêm as cores amarela e azul sim, assim as escolhemos não por tratar-se de cores de partidos A, B, ou C, mas sim por entendermos que as eleições dar-se-ão no município de São Luís, para o Sindicato dos Profissionais da Rede Municipal. Portanto, nada mais justo e natural que utilizemos em nosso material de campanha as cores da bandeira do nosso município, ou seja, azul, amarelo, verde, branco e preto, no nosso caso as cores azul, amarela, branco e preto.
Quanto a minha não adesão a última greve, nunca foi segredo para ninguém o meu posicionamento diante da greve naquele momento já anunciada. Afastei-me do comando de greve por não compactuar com a forma como foi conduzido todo o processo face as negociações o que culminou com o meu afastamento. Senhores membros do MRPE a política da Chapa 2 Transparência e Honestidade não é partidária, o nosso compromisso é com a verdade diante de uma categoria que merece todo o nosso respeito e atenção.
Estamos num momento delicado prestes a elegermos a nova diretoria do Sindeducação, vamos conduzir todo este processo de forma respeitosa e a cima de tudo com responsabilidade. Mais respeito ao divulgarem notas de forma leviana e totalmente infundadas no tocante a Chapa 2 Transparência e Honestidade. Neste momento a categoria já fez sua escolha, e como professor que sou não me considero massa de manobra e acredito que a categoria pense o mesmo.

Prof. César Augusto, representante legal da Chapa 2 Transparência e Honestidade.

Postagens mais visitadas deste blog

PERDAS SALARIAIS DOS PROFESSORES NO GOV. FLÁVIO DINO

GOV. FLÁVIO DINO DESCUMPRE LEIS e  APLICA NOVO CALOTE NOS EDUCADORES
Ao não conceder, em janeiro de 2018, o reajuste de 6,81% no vencimento dos integrantes do magistério da educação básica, mais uma vez o governador Flávio Dino insiste em descumprir a lei do PISO NACIONAL e o art. 32 do ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. Por 3 anos consecutivos temos sido vitimados por uma política de profundo ARROCHO SALARIAL que tem como consequência a diminuição permanente do poder de compra dos educadores, comprometendo de forma direta a qualidade da educação pública e a dignidade dos trabalhadores. Em 2016, embora a lei garantisse um reajuste de 11,36% para os Professores, não foi concedido nenhum percentual de recomposição salarial. Em 2017, governo descumpre novamente a legislação, através de uma manobra parlamentar, aplica um pequeno reajuste em cima da GAM.  Em 2018, o governo reedita o calote e outra vez, agindo na ILEGALIDADE, não concede o reajuste na tabela de vencimentos dos educadores, em uma clara …

Gov Flávio Dino passa a perna nos professores, vende gato por lebre e chama isso de valorização

Quem vê a megacampanha midiática do governo Flávio Dino (PCdoB)  sobre a realidade salarial dos professores da rede estadual maranhense, nem de longe imagina o que de fato vem acontecendo com esses educadores.  Primeiro é preciso explicitar que o governador, apesar de ser professor, não teve pudor algum ao optar, em 2016, por descumprir as Leis do Piso e o Estatuto do Magistério e deixar toda a categoria de professores sem reajuste salarial algum. No ano seguinte, o avanço do governo sobre os direitos dos professores continuou. Numa manobra envolvendo sua base aliada no poder legislativo, o governador Flávio Dino (PCdoB) usa uma Medida Provisória para violar o Estatuto do Magistério, promove o desmonte da carreira ao extinguir 9 referências de um total de 19 existentes e realiza uma pequena elevação na Gratificação de Atividade do Magistério – GAM, de forma parcelada e progressiva, entretanto, manteve CONGELADO o piso salarial de todos os professores, com valores referentes ao ano de 2…

Governo Flávio Dino aplica novo GOLPE nos PROFESSORES

Companheir@, demonstraremos aqui, os prejuízos causados pela aprovação da  Medida Provisória nº 272/18. Ela modifica a estrutura da tabela de vencimentos que integra o Estatuto do Magistério e trata da concessão de reajustes diferenciados para os educadores:

 Prof. I - 10,47% - INTEGRAL  Prof. II - 6,81% - INTEGRAL  Prof. III- 6,81% - P A R C E L A D O
O governo do estado incorreu em ato ILEGAL ao violar o artigo 32 da Lei 9.860/13, e conceder percentuais de reajustes diferenciados para os integrantes do subgrupo  Magistério. Como se isso não bastasse, os valores dos vencimentos dos professores nas tabelas que acompanham a MP 272/18, foram definidos à revelia da tabela que acompanha o Estatuto do Magistério, desde sua aprovação em 2013. Governo e sinproesemma acharam que os professores não perceberiam a manobra matemática feita por eles. A ideia visa reduzir o volume de recursos financeiros do FUNDEB, que é usado para remunerar anualmente, os profissionais do magistério. 

Observe na imagem …